Boa noite!
25/09
 

Artigos

Voltar
Quarta-feira, 09 de março de 2005 - 09h01m

Agricultura > Trigo

Podridão cinza da raiz da soja ataca na seca



Por Leila Maria Costamilan *

Nas duas últimas semanas, o Laboratório de Fitopatologia da Embrapa Trigo tem recebido diversas consultas sobre plantas de soja mortas antecipadamente, apresentando podridão radicular, e constatou-se que a causa é a doença conhecida como podridão cinza, podridão de carvão ou podridão negra da raiz, doença muito comum em períodos de seca, principalmente no final do ciclo da cultura.


Lavora de soja em Carazinho, RS, (22/02/05), no florescimento, apresentando plantas mortas com sintomas de podridão cinza da raiz.
Foto: Leila Costamilan/Embrapa Trigo


O agente causal é um fungo de solo chamado Macrophomina phaseolina e que, na soja, tem um comportamento oportunista, ou seja, coloniza as raízes aproveitando períodos de estresse hídrico para a planta. Nesta safra, observamos o início dos sintomas logo no estádio R3 (início de formação de vagem), o que pode ser considerado cedo para esta doença, provavelmente em função da falta de chuvas desta safra. Entretanto, na maioria das lavouras com problemas, as plantas encontram-se no estádio R5 (enchimento de grãos).

Os sintomas iniciam pelo amarelamento das folhas, que evoluem para cor marrom e, em seguida, murcham, permanecendo presas à planta e pendentes ao longo da haste. Assim, rapidamente a planta afetada entra em maturação, resultando em grãos menores que o normal. Outra característica importante é de que nem todas as plantas da lavoura apresentam esta doença, podendo ser encontradas plantas sadias entre plantas mortas.

Essas plantas são arrancadas sem esforço do solo, pois seu sistema radicular está podre. As raízes apresentam coloração castanha clara e soltam facilmente a casca, revelando o lenho acinzentado, o que é o sintoma característico desta doença. Esta coloração cinza é causada pela presença de pequenas esferas negras, que são as estruturas de resistência do fungo, chamadas microesclerócios, podendo ser facilmente visualizadas com o auxílio de uma lupa.

A prevenção é o melhor método de controle. Em anos com suprimento adequado de água, dificilmente a podridão cinza da raiz é observada. Dessa forma, a doença pode ser minimizada adotando-se qualquer atividade que aumente o teor de água no solo e melhore as condições do sistema radicular, como plantio direto, descompactação e adubação adequada, e evitando-se alta população de plantas.

* Pesquisadora da Embrapa Trigo


Fonte: mbrapa Trigo
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r