Boa noite!
22/09
 

Artigos

Voltar
Quinta-feira, 07 de julho de 2005 - 15h57m

Agroecologia > Solo

Lodo de curtume: alternativa na recuperação de áreas degradadas



Por Paulo Guilherme Salvador Wadt *

A Embrapa Acre realizou na safra 2004/2005 vários ensaios visando
avaliar o potencial agronômico de lodo de curtume na recuperação de áreas degradadas. Estes ensaios foram realizados em áreas de plantio comercial de grãos no Estado do Acre (Fazenda Larissa), com a colaboração do curtume Bom Retiro.

A pesquisa, ainda em andamento, visa definir critérios para a
disposição do lodo gerado no curtume (efluente líquido) de forma que não cause problemas ambientais, mas proporcione benefícios para o local onde é feita a disposição do resíduo.

A disposição de resíduos no solo normalmente é causa de muitas
controvérsias. Entretanto, deve-se lembrar que o solo constitui o melhor e mais seguro meio para a disposição de poluentes, em relação à hidrosfera ou à atmosfera. Os solos são capazes de melhor oxidar (o estado oxidável é geralmente a forma química menos tóxica), precipitar os poluentes e removê-los da cadeia alimentar, de modo mais seguro que o ar ou a água.

Entretanto, outro tipo de benefício da disposição destes resíduos no
solo refere-se à possibilidade destes serem usados na recuperação de áreas degradadas. Em outras regiões do País (Estado de São Paulo e Rio Grande do Sul, principalmente), resíduos de curtume já são utilizados na adubação de muitas culturas. Infelizmente, estudos para as condições de clima e solos da Amazônia ainda são incipientes. Por este motivo, a Embrapa Acre está conduzindo uma série de experimentos visando racionalizar a disposição destes resíduos nos solos. Em dois destes estudos, já concluídos, foi possível verificar que o uso do lodo de curtume contribuiu para melhorar a fertilidade do solo, favorecendo a resposta das plantas à adubação de cobertura com nitrogênio.

Para se ter uma idéia mais precisa do potencial agronômico do lodo
de curtume, em um dos experimentos, a produtividade de milho aumentou em 39 sacas ao se utilizar a combinação de lodo de curtume mais adubação em cobertura (80 kg/ha de sulfato de amônio), em relação ao tratamento sem lodo e sem cobertura nitrogenada. Isto significa, em reais, que a receita bruta aumentou de R$ 1.276,00 para R$ 2.134,00 por hectare, ou seja, R$ 858,00 em um período de apenas 4 meses (ciclo médio de uma lavoura de milho e saca de milho beneficiada estimada em R$ 22,00).

Infelizmente, os resultados disponíveis ainda não permitem a
definição da quantidade de lodo que se deve aplicar em cada tipo de solo. Além disto, a aplicação excessiva pode trazer resultados
negativos, como a salinização dos solos. Por isso, mais estudos estão sendo realizados para definir estas quantidades e determinar a melhor relação custo-benefício.

Atualmente, considerando que o lodo é cedido gratuitamente pelo
curtume Bom Retiro, e considerando apenas o custo adicional com a
adubação nitrogenada de cobertura, seria necessário um investimento adicional de cerca de R$ 215,00 por hectare para conseguir uma receita extra de aproximadamente R$ 858,00.

Estes números indicam que recuperar áreas degradadas com uso de lodo de curtume pode ser altamente vantajoso do ponto de vista econômico, além de aumentar as produções agrícolas do Estado, ajudando ainda nos esforços ambientais de diversas instituições para a contenção dos desmatamentos.

* engenheiro agrônomo, D.Sc fertilidade de solo,
pesquisador Embrapa Acre

E-mail: paulo@cpafac.embrapa.br


Fonte: Assessoria de Imprensa
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r