Boa noite!
22/09
 

Artigos

Voltar
Domingo, 05 de março de 2006 - 20h31m

Agricultura > Plantio Direto

Sistema Plantio Direto: opção para solos dos cerrados do Meio-Norte?



Por Luiz Fernando Carvalho Leite *


A região Meio-Norte do Brasil é uma grande importadora de grãos, devido à sua baixa produção e ao elevado consumo humano e animal. No entanto, apresenta excelente potencial para produção de cereais especialmente nas áreas de cerrados. Na maior parte dessas áreas, há a predominância de solos profundos, bastante intemperizados, ácidos e de baixa fertilidade e a utilização de sistemas de manejo convencionais, calcados especialmente, na utilização excessiva de maquinário agrícola e nas aplicações de fertilizantes sem critérios de recomendação. Isto tem gerado agroecossistemas extremamente instáveis com aparecimento de processos de erosão e compactação, além da diminuição dos estoques de matéria orgânica e dos níveis de fertilidade do solo, resultando em diminuição da produtividade das culturas de grãos.


Com a adoção, por parte de alguns produtores, do sistema plantio direto, tem se observado uma tendência de aumento da produtividade, especialmente da soja e do milho, e uma diminuição nos processos degradativos do solo. Neste sistema, a semeadura é realizada diretamente sobre os restos culturais do cultivo anterior, sem nenhum preparo do solo (aração e gradagem). A permanência de resíduos vegetais na superfície protege o solo contra a erosão e diminui as oscilações de temperatura e umidade, contribuindo para a manutenção de temperaturas mais amenas e maior retenção de água no solo em períodos quentes e de estiagem prolongada.

Essas características do plantio direto determinam profundas alterações nas propriedades químicas, físicas e biológicas do solo que por sua vez refletem-se na fertilidade e na eficiência do uso de nutrientes pelas culturas. Por outro lado, apesar dos avanços observados, há a necessidade de se substituir pacotes tecnológicos para o sistema plantio direto, importados da região Centro-Sul, por outros, adequados às condições de clima e solo dos cerrados do Meio-Norte.

Neste contexto, estão inseridas as ratificações do plantio direto como sistema de preparo eficiente e conservador, aferido por meio dos efeitos no solo e na produtividade das culturas, a determinação de doses de fertilizantes adequadas às culturas que possibilitem uma agricultura produtiva e sustentável, sem degradação do meio ambiente e a escolha de culturas usadas como cobertura do solo, em períodos de entressafra, adaptáveis à região.

Além disso, com a introdução e difusão do sistema plantio direto, torna-se extremamente importante a reavaliação, por parte de técnicos e produtores, do manejo tradicional do solo, especialmente no tocante à adubação, concebida e estudada para o preparo com revolvimento do solo. O reflexo disso deverá ser a elaboração de alternativas para o manejo dessa adubação, especialmente nitrogenada, no plantio direto, visando uma maior eficiência econômica, melhor uso de maquinário e praticidade para o produtor.

Apesar da extrema importância do tema, são ainda poucos, na região Meio-Norte, os trabalhos com plantio direto sob cultura de grãos, especialmente que enfoquem os efeitos desse sistema nas diversas propriedades do solo. Neste sentido, a Embrapa Meio-Norte está desenvolvendo projetos, principalmente nas áreas de cerrados, calcados na definição de sistemas de manejo do solo e da planta que possibilitem aumentar a produtividade das culturas de grãos e preservar a qualidade do solo e do ambiente.


* engenheiro agrônomo e pesquisador Embrapa Meio-Norte - Manejo e Conservação do Solo/Matéria Orgânica do Solo
E-mail: luizf@cpamn.embrapa.br


Fonte: Embrapa Meio-Norte
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r