Bom dia!
26/09
 

Artigos

Voltar
Sexta-feira, 07 de julho de 2006 - 14h52m

Política Agrícola > Agronegócio

O cenário rural a espera do novo ministro da Agricultura



Por Mario Hamilton Villela*

Lamento e muito a saída do Ministro Roberto Rodrigues, que mesmo diante das dificuldades encontradas dentro do Governo Lula, fez muito pela agricultura brasileira. Quase como uma andorinha só, lutou como pode para ajudar a agropecuária sair da crise em que está emersa. O Ministro saiu, por quê? Será que foi por não suportar mais eventuais pressões existentes dentro do próprio governo? Acredito, em breve deverão vir à tona as verdadeiras razões do pedido de exoneração do Ministro.


O novo Ministro, apesar de estar ocupando a Secretaria Geral do Ministério, pelo seu currículo, parece que não segue a mesma cartilha do Ministro demissionário. Isso o futuro dirá. Acompanhemos o desenrolar de sua trajetória à frente do Ministério.

O Ministro Luis Carlos Guedes Pinto, deverá de imediato encontrar solução para a renegociação das dividas da securitização, complementação do Pacote Agrícola, resolver aspectos ligados à comercialização final da presente safra, seguro agrícola, maior apoio à agricultura familiar, recursos para a defesa sanitária, entre outros. Enfrentará, cenários, como os resumidos a seguir: o Brasil, este ano, deverá se tornar o maior exportador de soja, despejando no mercado externo 26 milhões de toneladas, ultrapassando em um milhão aos Estados Unidos. A maioria dessa exportação ainda é em grãos, portanto, com baixo valor agregado. Coisa semelhante está acontecendo, há algum tempo, com outros produtos, como o café.

O arroz também vem sofrendo a tendência de preços baixos, embora, agora, com uma pequena melhora, em função da grande quantidade existente no mercado da safra anterior acrescida com a nova colheita. Apesar disso, estimativa de safra no Rio Grande do Sul é de 10% a mais que no ano passado.

A pecuária, tanto a leiteira (a cotação do leite vive uma instabilidade gritante – a queda da média nacional nos últimos 12 meses chega a quase 25%) como a de corte, vive momentos de dificuldades. Preços sem reajustes significativos há tempo. Na pecuária de corte, o produtor, descapitalizado, acelera a venda de matrizes. A estimativa para o ano passado (ainda não consolidada) sinaliza quase 13 milhões de ventres abatidos, número bem acima da média histórica, segundo o IBGE e Scot Consultoria.

A situação da avicultura é bastante difícil, a do milho não é diferente. Os sucos cítricos estão sendo sobretaxados em 9,73%, o que provocou uma queda de 11% nas exportações para os Estados Unidos.

Somos o maior produtor mundial de suco de laranja, mas vendemos apenas 9% para os Estados Unidos, o maior mercado externo comprador. A ovinocultura enfrenta dificuldades. Enfim, apesar de tudo, a presente safra de grãos com uma área plantada bem menor que as duas últimas, se o clima não prejudicar, deve registrar colheita recorde de 124,4 milhões de toneladas de grãos (de acordo com a CONAB) - a safra de 2004/2005 foi de 113,9 milhões de toneladas de grãos.

Aproveitar o momento das crescentes exportações de carne bovina. Enfrentar e vencer a já chamada guerra da agricultura na OMC-Organização Mundial de Comércio. Todos sabem que o problema gerador desse desequilíbrio do agronegócio brasileiro é, fundamentalmente, a atual taxa cambial praticada no País.

Está mais do que na hora de o governo, com seu novo Ministro, juntar-se ao setor produtivo do agronegócio e procurar estudar alternativas viáveis e rápidas para o enfrentamento de todas essas dificuldades que podem levar esse pujante setor da economia que contribui, hoje, com quase 30% do PIB nacional, a uma situação de desestabilização.

* engenheiro agrônomo e Prof. Me. da PUCRS
E-mail: mhvilela@pucrs.br


Fonte: Página Rural
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r