Boa noite!
22/09
 

Artigos

Voltar
Segunda-feira, 02 de julho de 2007 - 17h11m

Agronegócio > Cooperativismo

Responsabilidade social hoje é moda



Por Edivan Júnior Pommerening *


Um dos temas mais emergentes em nossos dias é a responsabilidade social das empresas. O fato é verificado nos mais diversos segmentos, sejam organizações públicas, privadas ou não-governamentais. A inclinação para o tema é de cunho mundial. Nesta temática, as empresas/entidades/instituições, numa atitude mais do que justa, “devolvem” à sociedade e à natureza parte do que delas foi “retirado”.




Responsabilidade social são ações que as empresas desenvolvem no intuito de fazer cumprir sua finalidade social. Essas ações contemplam vários aspectos, destacando-se os econômicos, os sociais e os ambientais. De acordo com uma pesquisa realizada pela Revista Exame e levada ao público pela Revista Veja em sua edição de dezembro de 2006, 31% das empresas brasileiras praticam atos de responsabilidade social.

Responsabilidade social é a preocupação das empresas com a qualidade de vida das pessoas que vivem em seu entorno. Neste sentido, devem praticá-la visando a sustentabilidade do meio sócio-ambiental local e regional. Elas – as empresas - precisam entender que estão inseridas na sociedade e que o seu sucesso deriva dela e com ela deve ser partilhado.

O documento utilizado para registrar e levar ao conhecimento do público os atos da empresa em prol do meio é denominado “Balanço Social”. Nele, a empresa reflete as ações que “respingam” nos mais diversos atores sociais com os quais se relaciona. Desta forma, há uma relação recíproca entre a empresa, a sociedade e o meio ambiente, pois são destes últimos que ela garimpa os recursos que garantem sua prosperidade, sejam humanos ou naturais.

Além de estabelecer um diálogo com os públicos interno e externo, o Balanço Social proporciona uma vista privilegiada do desempenho da gestão organizacional. De maneira correlata, o documento permite comparar as atitudes sociais da empresa com seus objetivos e metas primordiais, bem como, com o alinhamento aos seus intentos e estratégias futuras.

No Brasil, em detrimento a países europeus, por exemplo, a publicação do Balanço Social ainda não é lei, entretanto, inúmeras empresas já se mobilizam na sua elaboração, seja por consciência, por marketing ou por ambos (o Projeto de Lei nº 3.116 que obriga a sua publicação está tramitando no Congresso Nacional há 10 anos, já sofreu 4 alterações, sendo a última em 2004, e ainda não se chegou a um consenso acerca do seu teor). Num país onde é comum o não cumprimento de leis, verificar esta iniciativa é louvável e denota a relevância do assunto.

Temáticas recentes como o aquecimento do planeta e problemas sociais de toda a ordem comprometem ainda mais as empresas no exercício da sua função social (previsto na Constituição Federal em seu artigo 5º, inciso XXIII). Por sua vez, ao confeccionar seus Balanços Sociais as empresas devem ser autênticas, retratando suas ações e projetos e reconhecendo suas limitações. No site www.cooperalfa.com.br, é possível encontrar as ações de caráter sócio-ambiental desenvolvidas pela respectiva sociedade-empresa.

* acadêmico do 7º período do Curso de Ciências Contábeis da FIE – Faculdade Exponencial e funcionário do setor de Auditoria Interna da Cooperativa Regional Alfa de Chapecó/SC
E-mail: edivan@cooperalfa.com.br


Fonte: Página Rural
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r