Boa noite!
25/09
 

Artigos

Voltar
Quinta-feira, 06 de setembro de 2007 - 13h49m

Agronegócio > Produtos Orgânicos

Orgânico por Natureza



Por Ming Liu *


Aquecimento global, movimento verde, novas fontes de energia renováveis, responsabilidade sócio-ambiental, transgênicos e orgânicos são temas nos quais o Brasil aparece em destaque nos debates, seminários e discussões no mundo afora, seja como protagonista ou como facilitador; seja como diretamente atuante ou como discreto participante de um processo que busca, cada vez mais, os equilíbrios: econômico, financeiro, social e ambiental do sistema.






O setor dos orgânicos é um destes exemplos que nos últimos dez anos tem demonstrado grande desenvolvimento, despertado primeiramente pela consciência de seus integrantes na cadeia produtiva e, em seguida, pelo grande interesse e demanda do mercado externo, que cresce em escala exponencial.

A busca do conceito de orgânicos não se restringe apenas a de "produto livre de química, pesticidas, hormônios, antibióticos, radiação e outros tratamentos feitos e produzidos pelo homem". Hoje, a busca vai também para o pensamento filosófico do desenvolvimento da cadeia produtiva, onde o tratamento das pessoas, animais e do meio ambiente são fatores determinantes para sua certificação e aceitação junto ao consumidor final.

O grande desafio do setor está em como fazer este trabalho em escala global, quebrando os paradigmas do pensamento purista e entrando para o comércio externo com a manutenção de todos os benefícios que podem ser gerados na cadeia produtiva local. Atualmente, o país é o sexto maior em extensão de área destinada à produção orgânica e é conhecido como o grande provedor de grãos, cereais, óleos, frutas, produtos de origem animal como mel e carnes. Além do mais, tem dimensões territoriais vantajosas, biodiversidade presente em todas elas, clima bem temperado nas quatro estações, livre de qualquer desastre meteorológico grave e, principalmente, é trabalhado por um povo que tem cultura diversificada e aberta aos mercados específicos.

Justamente com o objetivo disseminar a capacidade de transformar orgânicos em produtos com a "cara do Brasil" e com a marca do Brasil e de promover a exportação, o Projeto organicsBrasil foi criado há mais de dois anos e é um exemplo de trabalho estruturado. O projeto destina-se a todos os agricultores, produtores e processadores de produtos orgânicos brasileiros que possuem Certificação Internacional e visa preparar os demais para inserção no mercado internacional, com intuito de incrementar as exportações do setor e gerar benefícios econômicos e sociais.

Diversos programas estão em andamento no país, apesar de ainda não possuir uma legislação específica. Atualmente, na esfera federal, o Ministério da Agricultura trabalha para a regulamentação do setor, através da promulgação da Lei 10.831; e as ações são efetivadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, dentro do PRONAF - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - que beneficiam centenas de pequenos agricultores familiares, capacitando-os para produzir alimentos saudáveis e de alto valor agregado. Além disso, o Ministério do Desenvolvimento e Indústria e Comércio, através da Apex-Brasil, iniciou em 2005 um Projeto Setorial exclusivamente para promoção dos produtos brasileiros no mercado externo.

Do lado do setor privado, onde antes observávamos apenas o desenvolvimento de pequenos empreendimentos e produtores familiares, já encontramos grandes e médias empresas nacionais - como a Nutrimental, Agropalma, Native, Fazenda & Casa, Jasmine entre outras - que possuem produtos desenvolvidos adotando alguns conceitos inovadores no seu processo, como: a linha de fabricação livre de carbono, a restrição ao uso de produtos de origens animais, o reforço do relacionamento das pessoas, o bem estar e a saúde educacional. O desenvolvimento destes produtos acaba fortalecendo toda a cadeia produtiva. Numa ótica mais global, hoje temos empresas como a Coca-Cola, Kraft, Danone, Cargill, Unilever, Kellogs e Heinz que, devido ao seu gigantismo, passaram a adotar estratégias cautelosas para sua entrada neste segmento de consumidores conscientes e criteriosos.

Atualmente abrangemos entre 700 e 1000 empresas e pequenos produtores certificados para vender orgânicos no mercado internacional, que atendem as demandas, mas - entretanto - ainda batalham para que o setor seja regulamentado no país. Existem entre 6.000 e 10.000 pequenos produtores com alguma certificação local, que ainda não são reconhecidos para a comercialização no exterior. Para se ter uma idéia da importância do comércio de orgânicos, estima-se que o mercado no Brasil movimenta algo em torno de US$ 250 milhões, para um mercado global na ordem de 40 bilhões de dólares, segundo a IFOAM - International Federation of Organic Agriculture e Movements.

Ainda temos muito que crescer. Daqui para frente, o mercado nacional terá que investir na conscientização dos consumidores, buscando a valorização ética do produto e a produção em escala sem perder seus fundamentos para competir no mercado global, que constantemente reconhece o Brasil como um dos principais fornecedores mundial.

* coordenador do Projeto organicsBrasil, projeto setorial de promoção comercial do setor – realizado pela Apex-Brasil e IPD, com parceria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. É formado em Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e tem mestrado em Ciência de Grãos em KSU-USA.

E-mail: mingliu@organicosbrasil.org


Fonte: Vera Moreira
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r