Boa tarde!
15/10
 

Artigos

Voltar
Segunda-feira, 06 de abril de 2009 - 12h27m

Agricultura > Uva e Vinho

Vitivinicultura brasileira em 2008



Imagens

Foto: Embrapa Uva e Vinho


Foto: Embrapa Uva e Vinho


Foto: Embrapa Uva e Vinho


Foto: Embrapa Uva e Vinho



Por Loiva Ribeiro de Mello


A produção de uvas no Brasil em 2008 foi de 1.399.262 toneladas, 3,27% superior ao ano de 2007 (Tabela 1). Houve redução na produção de uvas, em especial na região nordeste. Em Pernambuco houve redução da produção em 15,64% e na Bahia a redução foi de 4,31%. Também ocorreu redução na produção no estado de São Paulo (-4,19%). Nos demais estados ocorreu aumento na produção. O maior acréscimo da produção ocorreu no estado de Minas Gerais, 14,31%, seguido pelos estados da região sul. O Rio Grande do Sul, apresentou acréscimo de 10,4%, Santa Catarina (6,92%) e Paraná (2,34%). Do total de uvas produzidas no Brasil, 50,60% foi destinada à elaboração de vinhos, sucos e outros derivados, em 2008. Em 2007 a uva destinada ao processamento representou 47,02%.

As condições climáticas favoráveis para a produção de uvas no Rio Grande do Sul, principal pólo de produção de vinhos, aliadas à redução da produção de uvas no nordeste, foram as principais razões do aumento da participação das uvas para processamento (Tabela 2). Em 2008, a quantidade total de uvas para processamento aumentou em 11,13%, em relação ao ano anterior, enquanto as uvas destinadas ao consumo in natura apresentaram decréscimo de 3,71%. Cabe destacar que no ano anterior também ocorreu redução na participação das uvas destinadas ao consumo in natura e consequentemente aumento na participação das uvas processadas.

Para o ano de 2009, deverá ocorrer redução na produção de uvas de mesa, em decorrência da crise internacional que está afetando a produção de uvas no Nordeste Brasileiro, principal polo exportador desta fruta.

A área plantada de uvas no Brasil em 2007, segundo IBGE pelos dados capturados em janeiro de 2008, foi de 89.946 hectares. No panorama 2007, foi comentado que deveria estar ocorrendo algum equívoco com as informações de São Paulo, o que realmente se concretizou, pois dados capturados em fevereiro de 2009, mostram área de São Paulo muito inferior aos capturados em 2008, sendo a área total de 84.220 hectares.

Analisando os dados da tabela 3, referente a área plantada, se observa uma redução de 1,93% no total da área, em 2008, no entanto essa informação deve ser considerada com cautela, pois parece estar havendo ainda algum equívoco na área de São Paulo, que apresentou redução de 11,68%. O Rio Grande do Sul, principal produtor, possui área de 49.816 hectares, que representa, 60,31% da área total do país. Neste estado, em 2008, houve aumento de 2,87% na área plantada. No estado gaúcho em torno de 90% da produção destina-se à agroindústria para produção de vinhos, suco e outros derivados.

No tocante a área colhida (Tabela 4), verifica-se que houve incremento da área total de uvas de 2,01% no ano de 2008 em relação ao ano anterior. Nesse ano foram colhidos 78.535 hectares de uva no Brasil. Houve incremento na área colhida na maioria dos estados, com exceção de Pernambuco e Santa Catarina. Embora não apareça nas estatísticas do IBGE, a viticultura está sendo implementada em vários
estados como Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, Ceará e Piauí.


Não se dispõe de estatísticas sobre a produção e comercialização nacional de vinhos e suco de uvas, no entanto, considerando que o estado do Rio Grande do Sul é responsável por mais de 90% da produção nacional pode-se utilizar dados referentes ao estado para representar o país.

Considerando-se o total produzido com a conversão de suco concentrado para suco simples, verifica-se, em 2008, um aumento da produção de vinhos, sucos e derivados (11,98%). Dentre os produtos, destacam-se o suco concentrado com aumento de 18,49% de aumento e o suco de uvas simples com incremento de 16,49%. Os vinhos finos apresentaram incremento de 9,63 enquanto os vinhos de mesa cresceram 4,44%, em relação ao ano de 2007(Tabela 5).

Em termos de mercado, os vinhos e suco de uvas elaborados no Rio Grande do Sul, apresentaram redução de 2,51%. Os vinhos de mesa, que vinham apresentando tendência crescente até 2005, mostraram redução na quantidade comercializada de 11,78%. Foi a menor quantidade comercializada nos últimos 10 anos (Tabela 6). 

Os vinhos finos do Rio Grande do Sul comercializados apresentaram redução de 13,63% em 2008, comparativamente ao ano anterior. No entanto, os vinhos brancos tiveram acréscimo de 17,97%, em 2008 comparativamente ao ano de 2007. Cabe registrar que desde 1999 não ocorria aumento na comercialização de vinhos finos brancos, embora a situação naquele ano era bem mais favorável, pois houve comercialização de 20.910.186 litros, contra 8.475.839 em 2008.

Os espumantes apresentaram crescimento de 8,93%, sendo que os espumantes moscatéis se destacaram, aumentando 20,22% em 2008 , em relação ao ano de 2007. Cabe destaque que em 2007 já haviam crescido 23,89%. 

A comercialização de suco de uvas continuou sua trajetória ascendente embora com crescimento um pouco inferior ao verificado em 2007. O suco de uvas integral, em 2007, apresentou aumento de 19,46%, e o suco concentrado cresceu 10,51%. Em 2008, foram comercializados 21.554.644 litros de suco integral, 16,54% superior ao ano de 2007, e 139.402.325 litros de suco concentrado (transformados em suco simples), 8,89% superior. Em 2008, a quantidade suco integral do Rio Grande do Sul, pela primeira vez, superou o volume de vinhos finos comercializados. A soma do suco integral mais o suco concentrado já representa mais de 80% da quantidade de vinhos de mesa comercializados no Rio Grande do Sul.


Pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho

E-mail: loiva@cnpuv.embrapa.br


Fonte: Embrapa Uva e Vinho
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r