Boa noite!
22/09
 

Artigos

Voltar
Segunda-feira, 19 de outubro de 2009 - 18h41m

Agronegócio > Leite

Novos Caminhos da Pecuária Leiteira de Goiás



Imagens

Edson Alves Novaes

Foto: Divulgação / Faeg



Por Edson Alves Novaes

Goiás é o maior estado produtor de leite da região Centro-Oeste e, atualmente, o quarto maior produtor nacional. O crescimento de produção, entre 1997 e 2007, foi da ordem de 41,18%. Índice superior ao desempenho apresentado por Minas Gerais, maior produtor do país (29,87%).

Um dos fatores que explicam esse aumento diz respeito aos ganhos de produtividade. Especialmente pela introdução de animais de maior potencial produtivo e pelo aumento do suprimento forrageiro no período da seca, fato que reduziu a estacionalidade da produção.

Ademais, o Estado conta com um trabalho forte na organização dos produtores. Fato que tem permitido maior profissionalização e especialização do produtor e ações políticas em prol do segmento produtivo.

Segundo os dados do Censo Agropecuário de 2006, divulgado no início deste mês, de 1996 a 2006, em Goiás, houve um aumento da produtividade (litros por vaca/ano) de 32,31%. Passou de 6,5 litros por vaca por ano para 8,6 litros por vaca ao ano.

Não há dúvidas a respeito da expansão da pecuária de leite de Goiás. Hoje, com 10% da produção nacional, Goiás se posiciona como o quarto maior produtor de leite do País com um incremento anual de 3,5% na produção nos últimos 10 anos.
Outras razões que explicam o crescimento da pecuária leiteira goiana estão associadas aos menores custos médios do leite, em virtude dos preços mais baixos de concentrados e do baixo custo de oportunidade da terra. Além disso, a presença de cooperativas e grandes conglomerados industriais de lácteos ampliou o mercado comprador, o tem estimulado a modernização do setor.

A cadeia produtiva do leite também contribui para a geração de empregos no Estado. São mais de 220 mil pessoas empregadas diretamente na atividade leiteira (estimativa do setor). Só de produtores são cerca de 60 mil - 80% de pequenos e médios produtores.

A atividade leiteira em Goiás movimenta a economia da maioria dos 246 municípios goianos. Gera renda e empregos para a população interiorana. Sem contar na arrecadação tributária.
Não obstante a toda essa evolução alcançada pelo Estado de Goiás nos indicadores de produção e produtividade de leite, o setor ainda encontra muitos desafios e obstáculos para continuar crescendo e se desenvolvendo. Tanto que Goiás passou de segundo para o quarto maior produtor de leite do País.

Neste sentido, buscando nortear as decisões das futuras ações e políticas específicas para o setor, é que a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (FAEG), juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a Embrapa Gado de Leite, e demais parceiros realizaram no dia 8 de outubro de 2009 o XIII Seminário de Pecuária Leiteira de Goiás, onde foram divulgados os resultados de um Diagnóstico completo da Cadeia Produtiva do Leite no Estado de Goiás.

A falta de informações mais precisas da atividade é um dos grandes obstáculos que tem impedido que as organizações representativas da cadeia láctea possam definir estratégias e políticas para a promoção do desenvolvimento da atividade leiteira em Goiás. Daí a necessidade e importância de um Diagnóstico para nortear o trabalho de toda a cadeia.

O Diagnóstico incluiu três segmentos da cadeia produtiva do leite: produção, indústria e varejo. Para a pesquisa no segmento da produção foram entrevistados 500 produtores rurais em todas as microrregiões do Estado. Para o segmento da indústria, foram entrevistados diretores de todas as principais indústrias lácteas que operam em Goiás. Finalmente, para o do varejo, foram ouvidos dirigentes da Associação Goiana de Supermercados (AGOS).

No segmento da produção, mereceram destaque os seguintes aspectos: recursos disponíveis para produção de leite, com ênfase na mão de obra; assistência técnica; adoção de tecnologias; mercado de produtos lácteos; participação no Fundepec; qual idade do leite; produção e produtividade; resultados financeiros; e conclusões e sugestões.

A partir dos resultados desse diagnóstico, foi assinado um documento com as principais ações necessárias para dar sequência ao desenvolvimento da cadeia produtiva do leite em Goiás, onde a Faeg, o Senar e a Embrapa Gado de Leite e demais parceiros abrem novos caminhos para o leite em Goiás.

Economista e Gerente de Estudos Técnicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg).

E-mail: edson@faeg.com.br


Fonte: Faeg
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r