Bom dia!
26/09
 

Artigos

Voltar
Segunda-feira, 09 de junho de 2003 - 21h49m

Agricultura > Outros

A representatividade do setor de florestas plantadas



Marcílo Caron Neto *

O setor que emprega mais de dois milhões de trabalhadores no Brasil, agora vai ter representatividade política. A boa notícia veio ao encontro destes trabalhadores que em maioria tem poucas oportunidades de trabalho devido à falta de qualificação. A Frente Parlamentar de Silvicultura, que será instalada em Brasília no dia 17 de junho, vai defender a produção de florestas plantadas e a geração de empregos, que atualmente envolve cerca de 2,5 milhões de trabalhadores diretos e indiretos no Brasil.

Os atuais conceitos de uso dos recursos naturais estabelecem que as bases da sustentabilidade devem contemplar o crescimento econômico, a diminuição das diferenças sociais e a distribuição eqüitativa de renda com a qualidade ambiental. Quando se trata de recursos florestais, o Brasil possui posição de destaque não só pela disponibilidade de mais de 550 milhões de hectares com cobertura florestal e por deter a maior diversidade biológica do planeta, mas, sobretudo, pelo nosso extraordinário potencial de abrigar plantações florestais.

O setor florestal brasileiro, especialmente o segmento de florestas plantadas, apresenta significativa importância e contribuição à dinamização da economia no país. No entanto, tem sofrido restrições no desenvolvimento de suas atividades, tanto produtivas como de geração de serviços necessários ao bem estar da população brasileira. Não temos políticas para estimular o crescimento nem garantias e segurança no que já existe e tem condições de crescimento. A atividade florestal tem como característica a maturação lenta, necessitando de mecanismos de estímulo próprios, como a compensação tributária sobre as áreas de reserva legal, de preservação permanente e de interesse ecológico. Outro estímulo seria no item sobre o imposto de renda, sendo ele menor do que as atividades de ciclo anual. Além disto, a desburocratização das atividades das empresas florestais integradas, a criação de mecanismos de proteção contra as variações de taxa de juros de longo prazo, a formação de um fundo para o reflorestamento e a reposição inflacionária dos ativos florestais também trariam melhorias no setor. Outro fator importante para o segmento seria a adequação dos prazos e do período de carência dos financiamentos oficiais ao ciclo da atividade florestal. A redução do "spread" do BNDES, a criação do FINAME-FLORESTAL, a extensão das condições do PRONAF-FLORESTAL (para cooperativas de pequenos e médios proprietários e para projetos multiparticipativos) e a viabilização de linhas especiais de financiamento para pequenos e médios proprietários e/ou suas cooperativas também são condições almejadas pelos profissionais do segmento.

A consolidação do setor de florestas plantadas passa pela identificação e implementação imediata de ações prioritárias e inadiáveis, como as que serão sugeridas e que deverão ser postuladas pelo legislativo brasileiro. Diante destas constatações, explica-se a necessidade de implantação da Frente Parlamentar de Silvicultura. O movimento tem como objetivo fundamental promover a integração do setor de florestas plantadas com a sociedade. Além disso, os envolvidos no trabalho também esperam poder contribuir com estudos e propostas para o setor de produção e fomento florestal, acompanhar e propor adequações na legislação Florestal/ambiental e adotar mecanismos financeiros e tributários que estimulem a produção e a criação de um modelo institucional que aloque o setor de florestas plantadas a um Ministério. Isto ajudará a promover o desenvolvimento e o estímulo à produção e a exportação de produtos provenientes da silvicultura.

As florestas plantadas representam uma fonte sustentável de produção de madeira industrial, preservando florestas nativas e garantindo renda extra para pequenos e médios produtores rurais. Além disso, a atividade contribui para o desenvolvimento de áreas sociais marginalizadas social colaborando para a fixação do homem no campo. Além de evitar a derrubada de floresta nativa, defender o Brasil é o principal foco da Frente. A iniciativa, que envolve parlamentares de áreas afins ao setor de silvicultura, só irá trazer benefícios para todo o país.


* Presidente da Associação Sul Brasileira de Empresas Florestais


Fonte: Fábrica de Comunicação
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r