Boa noite!
22/09
 

Artigos

Voltar
Quarta-feira, 09 de julho de 2003 - 18h43m

Animais > Bovinos

Cruzamento industrial, melhoramento genético e raças adaptadas: o caminho da pecuária brasileira



Por Maria Lúcia Abreu Pereira *

O investimento em melhoramento genético na pecuária é determinante para a obtenção de melhor retorno econômico ao produtor. Essa questão independe se o projeto objetiva seleção de gado puro ou para cruzamento industrial. Assim, mais importante do que discutir qual seja a raça ideal, é almejar resultados cada vez melhores em termos de produtividade.

Há pouco mais de uma década, a idade média de abate dos bovinos no Brasil superava os quatro anos de idade. Atualmente, quem não consegue preparar os animais para o frigorífico com menos de três anos está perdendo dinheiro. O Brasil é um país continental e os produtores têm de analisar com muito cuidado as dezenas de opções disponíveis. Se a raça não se adaptar às condições tropicais, se não ganhar peso com rapidez e se as fêmeas não gerarem uma cria por ano, esse não é o caminho da atividade.

Quanto ao acasalamento entre duas raças diferentes, o vitorioso é o que cruza um animal de linhagem européia (bos taurus) com um zebu (bos indicus). O choque de sangue, ou heterose, une no produto resultante as características mais importantes das duas raças utilizadas. No entanto, é preciso ter muito cuidado, pois tem de saber perfeitamente o que se deseja. Ressalto alguns pontos importantes para isso: traçar um objetivo; considerar a localização geográfica da propriedade e as peculiaridades climáticas, escolhendo uma raça propicia a produzir nessa região, e ainda conhecer bem o manejo da própria fazenda.

Dessa forma, fica mais fácil encontrar a melhor opção entre as diversas raças taurinas disponíveis. O passo seguinte é saber quais os seus atributos determinantes, como adaptação, fertilidade, rendimento de carcaça, temperamento, facilidade de parto, habilidade materna e precocidade. Vale lembrar que é imprescindível adquirir genética provada a pasto; mas somente de criatórios que façam seleção, já que estes submetem os animais a severa avaliação e possuem DEPs (Diferenças Esperadas na Progênie) comprovadas para atributos essenciais ao aumento da produtividade.

Como opções rentáveis, as raças adaptadas estão em ascensão no Brasil por possuírem adaptabilidade, sangue europeu e carne de qualidade, com a maciez e a suculência tão cobiçadas pelo mercado internacional. A Fazenda Mariópolis, localizada em Itapira (SP), aposta nas qualidades do Caracu, e estamos obtendo sucessos consecutivos. Em termos de precocidade sexual, por exemplo, as fêmeas estão emprenhando aos 14 meses de idade, assim como os machos já estão aptos a reproduzir aos 14 meses. Nossa taxa de prenhez alcança índice de 95%. Nessa sucessão de boas notícias, recentemente sete dos nossos melhores reprodutores estiveram em coleta na central Bela Vista e tiveram produção média de 250 doses de sêmen industrializadas por coleta, com picos de 550 doses. Agora, imaginem todas essas qualidades associadas ao zebu.



Foto: Texto Assessoria de Comunicações


Para que o pecuarista obtenha sucesso na atividade, é fundamental fazer avaliações genéticas e funcionais periodicamente, descartando os animais que não atingirem determinados parâmetros de qualidade. O programa de melhoramento genético da Fazenda Mariópolis, por exemplo, submete os machos Caracu a um rígido teste de performance produtiva e reprodutiva, que avalia as características de ganho de peso, musculosidade, perímetro escrotal, adaptação, pernas, aprumos e cascos, comprimento e altura, resistência ao calor, espessura do couro e resistência à infestação de carrapatos. As matrizes são padronizadas para ter porte médio e gerar bezerros com até 50% de seu peso, mas de crescimento rápido. Os reprodutores aprovados no teste de performance são vendidos no leilão Mariópolis.

Convencida de que as raças adaptadas são diferenciadas e têm importante papel a desempenhar na pecuária brasileira, estou investindo em duas opções que chegaram há pouco tempo no Brasil: as raças Bonsmara e Senepol. Quem quiser conferir de perto a genética dessas raças adaptadas pode nos fazer uma visita ou participar do 1º Encontro das Raças Adaptadas da Fazenda Mariópolis, que acontecerá dia 25 de outubro, na véspera de nosso leilão anual.

* Proprietária da Fazenda Mariópolis (Itapira/SP), Telefones (19) 3913-2417, (11) 3089-5141 ou e-mail mariopolisita@uol.com.br.


Fonte: Texto Assessoria de Comunicações
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r