Boa noite!
18/12
 

Artigos

Voltar
Quarta-feira, 06 de agosto de 2003 - 16h53m

Agricultura > Frutas

Diagnóstico da fruticultura no entorno de São Luís, MA



Por Antônio Alberto Rocha Oliveira, Nelson Fonseca e Zilton José Maciel Cordeiro*


O diagnóstico foi realizado em maio de 2003, na microrregião do entorno de São Luís, MA, na zona de abrangência do Consórcio Intermunicipal de Produção e Abastecimento de São Luís. As atividades foram desenvolvidas nos municípios de Axixá, Morros, Viana, Chapadinha, Anapurus, Santa Rita, São Luís e Paço do Lumiar, envolvendo as culturas de banana, citros, manga, mamão e maracujá.

Banana:

Não se pode dizer que haja o predomínio de uma determinada variedade, todavia foram observadas com mais freqüência a Pacovan, Mysore, Figo e Maçã. A variedade Figo é muito comum nos pequenos plantios em torno das moradias, provavelmente devido à resistência ao mal-de-Sigatoka. Com esta característica, ela se destaca da Maçã e Pacovan, que perdem as folhas devido à alta severidade da doença. A mesma razão deve estar levando a variedade Mysore a se destacar entre as mais plantadas.
Quanto às condições de clima e solo da região visitada, não há nada que impeça o incentivo ao plantio da banana, uma fruta altamente popular entre os produtores, apesar do baixo conhecimento tecnológico sobre o seu cultivo. A popularidade da cultura, por outro lado, pode dificultar a introdução de novas práticas de manejo, devido aos velhos hábitos de plantio.

Citros:

A região motivo do presente diagnóstico possui uma série de características pedoclimatológicas que a tornam habilitada para investir no agronegócio da citricultura.
Recomenda-se o plantio de cultivares de diferentes épocas de maturação (precoces, de meia-estação e tardias), com a finalidade de ampliar a faixa de colheita do pomar. O pomar bem diversificado permite diversas colheitas ao longo do ano, evitando-se a concentração da safra em período determinado, que resulta em preços baixos.
Observou-se, na região, a preferência pelo cultivo da lima ácida ?Tahiti? que tem mercado garantido nas comunidades do interior e grande demanda em São Luís. Um dos problemas mais sérios na cultura dessa limeira ?Tahiti? é a grande oscilação de preços decorrente da sazonalidade da produção.

Manga:

Os municípios visitados não têm nenhuma representação participativa da produção da cultura da mangueira no Estado. No entanto, a situação da cultura não deve diferir muito dos outros municípios considerados produtores, pois o maior deles (Timon), não passa de 60 ha, o qual pode ser constituído na maioria de pomares de fundo de quintal, de pés francos e não conduzidos tecnicamente.
Na região visitada existem acessos ou germoplasmas de mangueiras que poderiam ser aproveitados para o consumo, tais como a ?Espada?, ?Rosa? e outros que têm boa aceitação comercial. Como em outras regiões do país, a escassez de material propagativo sadio é muito grande, sendo necessário o máximo de cautela na aquisição de mudas de mangueira que devem ser oriundas de locais de completa confiabilidade. Outra sugestão seria a produção de mudas enxertadas nas próprias regiões, para o qual é imprescindível a realização de treinamentos em propagação para a capacitação de viveiristas.

Mamão:

Com referência ao mamão, foram encontrados três pequenos plantios nas propriedades visitadas. A situação do mamoeiro nessas propriedades era bem melhor que a dos citros. As viroses, que são os problemas mais graves para a cultura, não foram observadas e foi constatado baixo índice de incidência de outras pragas e doenças (ácaros, brocas, podridão do pé varíola etc.). A condução das plantas era razoavelmente satisfatória, embora, em alguns casos, necessitassem de sexagem, adubação e adequada irrigação.

Maracujá:

As observações feitas em relação ao maracujá são bastante positivas. Os produtores que investiram na cultura solteira ou em consorciação se mostraram satisfeitos com o retorno. Geralmente as plantas mostravam-se vigorosas, mas existem alguns problemas de pragas, algumas doenças, onde a mais comum foi a verrugose.

* Engenheiros Agrônomos, D.Sc., pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura.




Fonte: Antonio Alberto Rocha Oliveira
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r