Bom dia!
18/10
 

Artigos

Voltar
Sexta-feira, 03 de setembro de 2004 - 09h38m

Agricultura > Horticultura e Olerícolas

Principais características da cadeia produtiva de cebola no Brasil



Por Daniela Lopes Leite*

No Brasil, a cebola é a terceira hortaliça economicamente mais importante. O valor bruto médio da produção de cebola curada no Brasil tem girado em torno de US$ 200 milhões/ano, equivalente a 8% do valor bruto das hortaliças. A produção média de 1 milhão de toneladas/ano, em 65 mil hectares/ano, está concentrada nas Regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Destina-se ao consumo “in natura” e atende principalmente ao mercado interno. A produtividade média brasileira é de 17,57 toneladas/hectare com diferenças regionais marcantes. Observa-se aumentos gradativos e constantes no rendimento nos principais Estados produtores.

Socialmente a cebolicultura brasileira se caracteriza como típica de pequenas e médias propriedades, estimando-se que 70% seja proveniente de agricultura familiar. Atualmente, não existe entressafra de cebola no País e o suprimento do mercado interno durante o ano inteiro poderia ser feito pela safra nacional. Observa-se porém, que em alguns momentos, a oferta de cebola no mercado interno tem ainda registrado períodos de excesso de oferta, alternados com outros de escassez do produto. Esta oscilação está normalmente relacionada a fatores climáticos e aos preços recebidos pelos produtores o que, conseqüentemente, cria dificuldades na área do abastecimento.

A importação de cebola no Brasil ocorre basicamente da Argentina. Na década de 90, o Brasil importou cerca de 96% de cebola da Argentina e 4% do Chile e outros. A cebola “in natura” ou refrigerada é o principal tipo importado pelo Brasil.
Em relação a exportações, a partir da década de 90 foram registradas algumas vendas para o mercado externo. Entre 1990 e 1994, a exportação de cebola brasileira ficou restrita ao mercado uruguaio. A partir de 1995, o Brasil começou a exportar para a Argentina e, de 1998 a 2000, houve exportação de cebola brasileira para o mercado norte-americano.

O consumo per capita/ano no Brasil, em torno de 6 kg, é baixo e tem-se mantido constante, atribuído em parte à pungência de moderada a alta das cultivares brasileiras. Uma alternativa de médio prazo para incrementar a atividade ceboleira no Brasil seria a disponibilização de cebolas suaves e doces para atender os mercados interno e externo.

* Pesquisadora da Embrapa Clima Temperado - Pelotas (RS)


Fonte: Ana Luiza B. Viegas
















© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r