Boa tarde!
19/07
 

Notícias

Voltar
Terça-feira, 08 de junho de 2010 - 11h55m

Eventos > Simpósio

MA: Kátia Abreu fala sobre insegurança jurídica no campo em São Luís



São Luís/MA

A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, participou ontem (07), em São Luís/MA, da abertura do Simpósio de Meio Ambiente “A matriz energética do Brasil e o desenvolvimento sustentável no século XXI”. Promovido pela Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente e Ministério Público do Maranhão. Kátia Abreu fez a palestra “Insegurança Jurídica no campo e impactos ambientais no desenvolvimento sustentável”, para uma plateia composta por membros do Ministério Público, magistrados, advogados, servidores dos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente, setor energético, empresários, especialistas e estudiosos do assunto.

Em sua fala, a senadora agradeceu a oportunidade dada pelo Ministério Público de Meio Ambiente e defendeu mais uma vez a atualização do Código Florestal, com base em critérios científicos. Também fez criteriosa abordagem sobre a revolução agrícola e sobre a ocupação do território brasileiro. Ela afirmou que os produtores rurais também defendem a preservação do meio ambiente, mas criticou a radicalização sobre o tema. Para ela, é possível a conciliação do agronegócio com um meio ambiente preservado, tendo apresentado diversos números e estudos sobre o tema.

A senadora destacou que um terço do Produto Interno Bruto (PIB) e dos trabalhadores com carteira assinada existentes no Brasil vêm do campo, bem como 42% das exportações. “Se excluirmos a agropecuária, a balança comercial brasileira torna-se negativa”, explicou.

De acordo com Kátia Abreu, as entidades ligadas ao agronegócio, como a CNA, estão buscando apoio na ciência e no conhecimento como forma de ampliar sua produtividade e reduzir os impactos ao meio-ambiente. A senadora se colocou à disposição para o debate e criticou Organizações Não Governamentais e entidades que não aceitam discutir o tema. Para ela, esses grupos “não querem a solução dos conflitos porque vivem desses conflitos”.

Quem também fez palestra foi o senador Edison Lobão (DEM-MA), que esteve à frente do Ministério das Minas e Energia e falou sobre a realidade energética do país e os investimentos que têm sido feitos no setor. Lobão ressaltou, ainda, a importância da geração de energia para o progresso do país, mas que não se pode perder de vista a necessidade de preservação do meio ambiente.

Presentes ao evento a procuradora-geral de Justiça do Maranhão, Fatima Travessos, o procurador presidente da Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente, Jarbas Soares, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhã (Faema), José Hilton de Souza,o secretário de Estado do Meio Ambiente, Washington Rio Branco, que representou a governadora Roseana Sarney, o conselheiro da OAB, Guilherme Zagalo, a corregedora do Ministério Público, Cilene Coelho, e Fernando Fialho diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – Antaq.


Fonte: CNA














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r