Bom dia!
22/07
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 11 de junho de 2010 - 07h43m

Bancos > Safra

MT: Banco do Brasil libera R$ 1,62 bilhão para safra 2010/11



Cuiabá/MT

O volume de recursos liberados este ano pelo Banco do Brasil para a safra 10/11, em Mato Grosso, já contabiliza R$ 1,62 bilhão, praticamente empatando com o montante aplicado em toda a safra 09/10, R$ 1,64 bilhão. Como a contratação dos recursos para a próxima safra está apenas começando, a expectativa do Banco é atingir R$ 2 bilhões até o final da atual temporada.

Os números da safra agrícola foram divulgados ontem pelo analista de Agronegócio da Superintendência do Banco do Brasil em Mato Grosso, Brasiliano Brasil Borges, dois dias após o anúncio do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2010/2011.

Segundo Borges, do volume liberado para a próxima safra em Mato Grosso, R$ 1,41 bilhão foram destinados à agricultura empresarial e, deste total, R$ 824 milhões foram canalizados para pré-custeio e, R$ 299 milhões, para investimentos, operações que concentram o maior volume de recursos do crédito rural. A agricultura familiar, via Pronaf, foi contemplada com R$ 212 milhões.

Borges informou que as 96 agências no Estado já estão operacionalizando contratações. “Os recursos já estão disponíveis nas agências e os produtores podem procurar o gerente para solicitar o crédito”, disse. Ele afirmou que o Banco está disposto a conversar e ouvir o produtor para possíveis renegociações. “O Banco vai analisar caso a caso, porém as operações serão aprovadas de acordo com as regras da instituição”, avisou.


NOVIDADES

Ele destacou algumas novidades do plano agrícola para nova temporada (10/11), como o aumento do limite de empréstimo para o produtor de soja, que teve um reajuste de 30%, passando de R$ 500 mil para R$ 650 mil, e a ampliação da capacidade de armazenamento nas fazendas, com aumento dos recursos do Programa de Incentivo à Irrigação e à Armazenagem (Moderinfra), que passa de R$ 500 milhões para R$ 1 bilhão, além de melhorias nas condições de financiamento. Em contratos individuais, o PAP permite a contratação de até R$ 300 mil para o médio produtor.

Outra inovação do plano é a criação de uma linha de crédito específica para a classe média rural, cuja renda anual seja inferior a R$ 500 mil – o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) - que destinará R$ 5,65 bilhões exclusivamente para esse segmento e que substitui o Programa de Geração de Emprego e Renda (Proger Rural). O programa estipula limite de financiamento de custeio de R$ 275 mil por beneficiário, R$ 25 mil a mais que o ofertado pelo antigo Progrer Rural. Para investimento, cada produtor pode contratar até R$ 200 mil, com taxas de juros anuais de 6,25%.


PRODUTORES

Os produtores mato-grossenses gostaram do PAP. “Tivemos avanços, como a criação de recursos para armazenamento e recuperação de áreas degradadas e o aumento do limite de crédito para o produtor de soja”, comentou o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja), Glauber Silveira. Mas, voltou a reclamar das “dificuldades de acesso” ao crédito oficial. “Infelizmente, poucos têm acesso em Mato Grosso. Precisamos melhorar as condições para que um universo maior de agricultores possa usufruir deste dinheiro”.

Marcondes Maciel


Fonte: Diário de Cuiabá














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r