Boa noite!
14/12
 

Notícias

Voltar
Terça-feira, 15 de junho de 2010 - 14h02m

Agroecologia > Cursos

PE: jovens pernamucanos da área rural de 11 municípios concluem curso técnico em Agroecologia



Ibimirim/PE

Mais de 800 pessoas, entre alunos, familiares, amigos, professores, parceiros e autoridades prestigiaram a formatura de 180 jovens de 11 municípios de mais baixo IDH do Estado no Curso Técnico em Agroecologia, oferecido pelo Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta) e financiado pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Articulação Regional (Sedar)/Programa de Apoio ao Pequeno Produtor Rural (ProRural), e pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A solenidade foi realizada na segunda-feira (14), na sede do Serta, em Poço da Cruz, no município de Ibimirim (Sertão do Moxotó). O ProRural investiu R$ 679.406,25 para a formação de 120 formandos.

A formação profissional foi oferecida a jovens, de 16 a 24 anos, filhos de agricultores das regiões do Sertão do Pajeú, Sertão do Moxotó e Agreste Meridional, moradores das áreas rurais dos municípios de Paranatama, Ibimirim, Manari, Caetés, Inajá, Tupanatinga, Iati, Saloá, Itaíba, Águas Belas e Terezinha. O curso teve o desafio de manter essa juventude no campo e fazer com que eles tivessem a consciência e o olhar da propriedade de sua família como seu empreendimento.

Durante o curso de Nível Médio, com duração de um ano e meio e uma carga horária de 1.200 horas, os alunos permaneciam internos na unidade do Serta uma semana por mês, e as outras três semanas trabalhavam em sua propriedade, junto à própria família, executando as atividades aprendidas durante o curso, com acompanhamento de técnicos do Serta.

Durante a formatura, o secretário de Desenvolvimento e Articulação Regional, José Patriota, lembrou que o curso deu certo porque teve o compromisso e a decisão política do governador Eduardo Campos de investir nele. “O Serta tem boa vontade, compromisso e a metodologia, mas não tem recurso. E é obrigação dos governos formarem esses jovens. Estou vendo aqui que o que investimos é pouco diante do tamanho do resultado. Essa formatura é uma conquista muito grande. Esses jovens agora tem o saber, o conhecimento, e sabem trabalhar com a natureza respeitando-a e dela tirando o seu sustento. E esse aprendizado não é só para ele. O jovem ADL (Agente de Desenvolvimento Local) agora é multiplicador, o que ele aprendeu é também para a sua família, a sua comunidade e sua região. É para construir e transformar o desenvolvimento de Pernambuco”, enfatizou Patriota.

O presidente do Serta, Abdalázio de Moura, relatou os impactos e os resultados do curso. “Muitos dos alunos que aqui estão chegaram para o curso pensando em se formar e ir morar na cidade grande. Hoje, eles sabem a importância de permanecer na zona rural, na propriedade de sua família, além de ter aprendido as técnicas para tirar o melhor aproveitamento de sua terra”, disse.

Durante a solenidade, Moura também apresentou as próximas etapas da formação dos jovens. “A formatura é uma etapa, queremos que esses alunos tenham novas oportunidades. Estamos preparando um módulo de empreendedorismo e negócios e articulando várias redes de comercialização para que esses jovens e sua família possam melhorar o seu negócio. Nossa intenção é ter mais 4 turmas de 50 jovens para o segundo semestre”, adiantou Moura.

Depoimentos
Na primeira parte da solenidade, os alunos e seus pais e mães puderam dar depoimentos emocionados do quanto o curso mudou suas vidas. “As outras faculdades formam os filhos para abandonar os pais. Aqui se forma o jovem para permanecer ao lado do pai, produzindo em sua terra um alimento de qualidade. Foi para mim o melhor curso que encontrei”, disse o pai da aluna Missilene, Edemival Ferreira, do município de Afogados da Ingazeira.
Do mesmo município, a mãe do aluno Sebastião, Iranilda de Oliveira, também relatou a mudança na vida de um jovem agricultor (como definiu seu filho). “Esse curso mudou completamente a cabeça dele. Hoje damos muita importância aquilo que levamos para a nossa mesa. Foi um incentivo muito grande para que os jovens continuem em sua terra”, disse.

Os formandos também se mostraram bastante satisfeitos com o curso. “Eu tinha vontade de estudar educação no campo, mas não tinha oportunidades. Aqui conheci muitas formas de conviver com o nosso semiárido. Hoje sou capaz de ajudar minha comunidade e meu município para ter um melhor desenvolvimento rural”, relatou o aluno Damião de Souza Melo, de Itaíba.

A formanda de São José do Egito, Marília Maria da Costa, reafirmou a importância das aulas em sua vida. “Com o curso, dá para ter a certeza que agora podemos mudar a nossa propriedade e pôr em prática o que aprendemos. Hoje, damos valor a nossa propriedade e sabemos que dela podemos tirar uma alimentação saudável”, ressaltou.

Aulas

Na maior parte do curso, os jovens aprenderam sobre o desenvolvimento de tecnologias voltadas para a agricultura sustentável, mas também tiveram noções de desenvolvimento pessoal e social, comunicação e expressão. “Em um primeiro momento, os alunos aprenderam a fazer o planejamento da propriedade para produzirem os alimentos para sua própria família. Depois, os jovens puderam planejar a propriedade para ter uma produção para a comercialização”, explicou o diretor financeiro do Serta, Luiz Fernando Calheiros.


Fonte: Governo de Pernambuco














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r