Boa tarde!
15/08
 

Notícias

Voltar
Quinta-feira, 17 de junho de 2010 - 16h32m

Agronegócio > Economia

MG: estudo prevê crescimento de 5% para o PIB do agronegócio mineiro



Belo Horizonte/MG

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio mineiro deve fechar o ano de 2010 com um crescimento de 5%. É o que indica o mais novo relatório do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo (USP). A metodologia adotada pelo Cepea leva em consideração toda a cadeia produtiva do agronegócio: setor básico, insumos, distribuição e agroindústria, tanto da agricultura quanto da pecuária. O estudo foi encomendado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais e pela Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg).

Segundo o estudo, o valor PIB do agronegócio mineiro deste ano deve chegar a R$ 86,5 bilhões. Com este número o agronegócio do Estado passa a representar 11,9% do PIB do agronegócio nacional. É a maior participação desde que o estudo começou a ser feito, em 2001.

O crescimento de 5% esperado para este ano leva em consideração o desempenho do setor no primeiro trimestre e apresenta um forte contraste com o mesmo período de 2009, quando o PIB do agronegócio mineiro teve uma retração de 2%. De acordo com o Cepea, a queda nos valores de insumos nos primeiros três meses deste ano ajudou o produtor a trabalhar com custos mais baixos favorecendo o crescimento das atividades “dentro da porteira”. Além disso, foi registrada uma intensa recuperação da agroindústria, principalmente de base agrícola.

Ao levar em consideração apenas o PIB do agronegócio de base agrícola, o crescimento registrado no trimestre foi de 8%. Contribuiu com a elevação o faturamento nas lavouras de cana-de-açúcar, batata inglesa, carvão vegetal, tomate, laranja e café, o principal produto básico na composição do PIB da agricultura mineira. Já o milho e a soja apresentaram redução nos preços na comparação com o período anterior.

Além do setor básico, todas as principais agroindústrias de base agrícola do Estado – celulose, álcool anidro, álcool hidratado, têxtil, café, fumo, açúcar, soja e bebidas – também tiveram crescimento no faturamento em relação aos três primeiros meses do ano passado. As indústrias de etanol são as que mais contribuem para o PIB no grupo das agroindústrias mineiras de base agrícola.

Já no PIB do agronegócio de base animal, o crescimento foi de 1,5%. No setor básico, “dentro da porteira”, com exceção da avicultura, houve expansão dos preços pagos ao produtor de bovinos, suínos e leite. A venda de boi vivo é a que tem a maior parcela dentro do setor básico da pecuária.

Na agroindústria de base animal, apenas aquela ligada à carne bovina apresentou uma pequena retração no período. As outras – carne suína, carne de aves, leite em pó, leite UHT, leite pasteurizado e queijo mussarela – registraram elevação no faturamento. Entre as indústrias ligadas à pecuária, as de leite e queijo são as que mais contribuem para o PIB estadual.


Fonte: Seapa/MG














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r