Bom dia!
10/12
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 18 de junho de 2010 - 18h36m

Eventos > Feira

SP: IZ apresenta técnica de medição do gás metano produzido pelos bovinos



Vídeo
SP: demonstração da técnica de medição do gás metano

Veja apresentação do pesquisador do IZ, João Demarchi, durante a 16ª Feicorte, em São Paulo/SP.

Fonte: SAA/SP

São Paulo/SP

Técnica de medição do gás metano produzido pelos bovinos e exalado pelas narinas e boca desses ruminantes foi demonstrada durante a Feicorte 2010 pelo pesquisador João Demarchi, do Instituto de Zootecnia (IZ), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado.

O pesquisador alerta que, se de um lado o gás metano contribui para o aquecimento global, de outro existe o sequestro de carbono pelas pastagens e a emissão de ácido nitroso gerado pelas fezes e pela urina dos bovinos (propício para fertilização do solo).

A maioria dos bovinos do Brasil é mantida em pastagens, onde as fezes são degradadas na presença de ar (degradação aeróbica), não produzindo metano, conforme afirma a diretora IZ, Maria Lucia Pereira Lima. "Essa situação é completamente diferente de animais estabulados, cujas instalações são lavadas e as fezes são fermentadas na forma úmida, em tanques, produzindo muito metano."

Os trabalhos realizados pelo IZ, diz Maria Lucia, demonstram que um bovino pode produzir entre 42 e 80 quilos de gás metano por ano e que, em média, chega a 57 quilos por animal/ano, semelhante aos dados mundiais. "Existem várias pesquisas visando diminuir a produção de metano, usando-se aditivos nas rações ou mesmo probióticos que interferem no metabolismo da digestão dos bovinos. É possível diminuir em até 30% a emissão pelo rúmen, dependendo da alimentação."

Das emissões de gases de origem antrópica, o metano representa 14% do total e o gás carbônico é o mais importante, com 60% das emissões, observa a diretora do IZ. "Ainda considerando o metano, os ruminantes são responsáveis em apenas 22% do metano produzido pela humanidade, sendo os rios poluídos e lixões os grandes contribuidores nas emissões."

A população brasileira de bovinos está em torno de 180 milhões de cabeças, que produzem 9,4 milhões de toneladas de metano por ano. Isso representa apenas 2,5% do que é gerado pela humanidade. "Qualquer esforço em diminuir essa produção não trará nenhum benefício à humanidade”, diz Maria Lucia.

Segundo a pesquisadora, os bovinos são ruminantes, capazes de aproveitar o capim, por apresentarem um de seus estômagos - o rúmen - com capacidade de abrigar bactérias, que em simbiose degradam o capim e o transformam em proteína, aproveitada depois pelo bovino. "Nesse processo digestivo, é gerado um excesso de hidrogênio e, para se livrar desse excedente, os animais desenvolveram a capacidade de produzir metano (CH4), que é transformado facilmente em gás carbônico (CO2) por queima ou faísca elétrica. Esse processo foi criado há milhares de anos."


Fonte: SAA/SP














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r