Bom dia!
11/12
 

Notícias

Voltar
Segunda-feira, 21 de junho de 2010 - 15h20m

Eventos > Outros

DF: Sergipe é destaque em eventos promovidos pelo MDA



Brasília/DF

O Estado de Sergipe foi destaque em dois grandes eventos, ocorridos no período de 14 a 20 de junho, em Brasília, quando da realização do Seminário de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) Integração Brasil - África: Superação da Pobreza e Desenvolvimento Rural Sustentável e da a maior mostra de agricultura familiar da América Latina: a Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária – Brasil Rural Contemporâneo, voltado para agentes de Ater, gestores de políticas públicas voltadas para o meio rural, líderes comunitários rurais e agricultores que atuam como agentes de desenvolvimento rural de países africanos.

No dia 14, quando da realização do seminário de Ater, o Ministro do MDA, Guilherme Cassel, ressaltou a importância da troca de experiências entre o Brasil e os países africanos para enfrentar os desafios do Século 21. Ele disse ainda que “a agricultura familiar é responsável por 70% de tudo o que é consumido pela população no dia a dia. Isso coloca a agricultura familiar como o setor social diretamente responsável pela segurança alimentar”.

Destacou também que as cadeias produtivas da agricultura familiar são responsáveis por 11% do PIB. “O que confirma que a agricultura familiar é, acima de tudo, um setor relevante da economia brasileira. E temos certeza de que a troca de experiências vai beneficiar aos nossos paises".

Na oportunidade, o Secretário de Agricultura Familiar do MDA, Adoniram Sanches Peraci, apresentou as políticas para o desenvolvimento rural como o crédito rural do Pronaf, os seguros de clima e mercado, as políticas de geração de renda e agregação de valor como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa de Alimentação Escolar e a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pnater).

“A agricultura familiar tem importantes responsabilidades para a segurança alimentar, a inclusão social, a ocupação territorial, a permanência de empregos no campo, a preservação do meio ambiente e a geração de renda. Este setor produtivo responde mais rápido à superação da pobreza", reforçou o secretário.

Representando o Estado de Sergipe, o Coordenador da Rede de Comercialização da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Geraldo Sobrinho, apresentou experiência das ações desenvolvidas em Sergipe na articulação da agricultura familiar com o mercado no processo de comercialização. Geraldo ressaltou a importância do início do processo de comercialização através do mercado institucional e a revolução histórica da agricultura familiar, por contar com programas estruturantes.

“Destaco aqui os avanços que vem ocorrendo em Sergipe na perspectiva de diversificação e aumento da produção da agricultura familiar, na organização da base produtiva, no credenciamento das organizações de produtores, nas relações e contratações de serviços das agroindústrias pela agricultura familiar, agregando valor ao produto, conhecimento das exigências do mercado, melhoria da qualidade dos alimentos, valorização dos produtos locais e regionais, circulação dos recursos no comércio local e regional, estruturação das cooperativas em rede, demanda de infra-estrutura de comercialização, geração de renda”.

Amostra
Já no período de 17 a 20 de junho, os participantes puderam conhecer o que há de melhor da produção da agricultura familiar de todo o País, quando da realização da Amostra de Agricultura Familiar da América Latina: a Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária – Brasil Rural Contemporâneo, num evento que reuniu 650 empreendimentos familiares e teve uma extensa programação cultural, entre música, artesanato, gastronomia, orgânicos e moda, num grande mosaico da produtividade e da diversidade da agricultura familiar brasileira.

Foram expostos e comercializados produtos como queijos, salame, polpas de frutas, vinhos e geleias, granola de licuri, caviar de berinjela, xampu de andiroba, azeite virgem de castanha do brasil, sabonete de babaçu, cracóvia e farinha de macadâmia. Tudo produzido por agricultores, artesãos, extrativistas, comunidades indígenas, piscicultores, ribeirinhos, quilombolas e assentados da reforma agrária apoiados por políticas públicas do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

O Estado de Sergipe esteve representado por membros de cooperativas e associações de agricultores familiares que, junto, mostraram o potencial produtivo da cadeia agrícola sergipana, a exemplo da Cooperaf, do município de Ribeirópolis, que levou para a amostra o mel de abelha; a Coofama, da cidade de Campo do Brito, que expôs os produtos derivados da mandioca, como a farinha; a Coopatsul, de Salgado, com o produto suco de laranja; a Associação de Artesanato de Carrapicho, em Santana do São Francisco, compareceu levando seus artesanatos de barro; do Município de Poço redondo, a Cooperativa das Bordadeiras de Sítios Novos levou seus artesanatos de bordados; e a Associação de Artesanatos e Apicultura do Assentamento Santana dos Frades, no município de Pacatuba, também com artesanatos.


Fonte: Emdagro














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r