Bom dia!
19/07
 

Notícias

Voltar
Segunda-feira, 28 de junho de 2010 - 14h26m

Agronegócio > Exportação

MG: estudo mostra força das exportações do agronegócio mineiro, diz Seapa



Leitores podem ter uma visão objetiva do setor e das cadeias produtivas.


Belo Horizonte/MG

A receita das exportações do agronegócio mineiro, nos últimos sete anos, quase triplicou, com um aumento de US$ 2,0 bilhões para US$ 5,6 bilhões, garantindo para Minas Gerais a quinta posição entre os Estados exportadores, logo após São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Paraná.

Estes dados constam do estudo Panorama do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais 2010, lançado nesta segunda-feira (28), em Belo Horizonte. O trabalho, em segunda edição, foi editado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Central Exportaminas, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

Com os dados é possível comparar o desempenho de Minas diante de outros Estados que se destacam nos negócios internacionais, bem como avaliar os percentuais de participação do agronegócio mineiro no conjunto das vendas brasileiras desse segmento para outros países.

De acordo com o secretário da Agricultura, Gilman Viana Rodrigues, “o Panorama do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais é fruto do esforço conjunto dos técnicos das Secretarias da Agricultura e de Desenvolvimento Econômico, com base em uma metodologia padronizada de apuração do comércio exterior”. Ele enfatiza que o estudo, apresentado em Português e Inglês, possibilita ao leitor nacional ou estrangeiro uma visão objetiva do agronegócio e das principais cadeias produtivas. “O Panorama também traz informações sobre aspectos setoriais que mostram o Estado avançando de maneira sustentável na internacionalização de suas empresas”, acrescenta o secretário.

Expansão dos negócios
A publicação apresenta informações sobre a balança comercial do agronegócio, diversificação de pautas, exportação por Estado, exportações de Minas, importações do Estado, e principais parceiros comerciais. Há também dados sobre a logística do agronegócio e números das exportações por cadeias produtivas.

Segundo o estudo, os produtos do agronegócio mineiro foram exportados no ano passado por 501 empresas, sendo 55,1% micro ou pequenas, 39,3% de médio porte e 5,6% de grande porte. Ao analisar os destinos das exportações, o Panorama mostra que a União Européia recebeu 41,7% de tudo que foi exportado em 2009 pelo agronegócio estadual, o que equivale à cifra de U$ 2,3 bilhões. A participação da Ásia vem aumentando, e nesse bloco têm destaque a China, Hong Kong e Taiwan, com crescimento de 9,1%. Países do Oriente Médio também tiveram evolução, neste caso de 6,3%.

A região Sul de Minas respondeu por 47,6% do valor exportado pelo agronegócio do Estado, informa o estudo. Essa liderança é garantida pela produção de café. A receita obtida por Minas com a comercialização externa deste produto, em 2009, foi de US$ 2,9 bilhões e o principal destino é a Alemanha.

Já o Triângulo Mineiro ocupa o segundo lugar nas exportações do agronegócio estadual, com 25,4% do total, e neste caso os resultados são impulsionados pelos embarques do complexo sucroenergético e carnes. O estudo ressalta o valor alcançado pela exportação mineira de açúcar em 2009. Foram US$ 691,0 milhões, equivalentes a um crescimento de receita de 527,7% desde 2003. No caso do etanol, o Panorama ressalta um aumento de receita superior a 7.000% nos últimos seis anos: as exportações mineiras do produto alcançaram, em 2009, a cifra de US$ 93,3 milhões. A Holanda, principal destino do etanol produzido em Minas, respondeu por 24,9% daquele valor.

No caso da carne bovina, as exportações mineiras do ano passado atingiram uma receita de US$ 305,8 milhões, um aumento de 1.300% por cento desde 2003. De acordo com o Panorama, a Rússia foi o principal destino da carne bovina procedente de Minas, com importações de 23,2% do total exportado pelo Estado.

Ainda no grupo das carnes exportadas por Minas, a de frango também vem mostrando crescimento expressivo desde 2003. A receita gerada pela venda do produto teve crescimento de 397,1% nesse período, conseqüência principalmente do aumento dos embarques. Mais de 20,0% da carne de frango produzida no Estado foram enviados para o Iraque, maior comprador do produto mineiro.

As exportações do complexo soja, a partir do Noroeste e Triângulo Mineiro, polos de produção do Estado, atingiram o valor de US$ 493,7 milhões, registrando crescimento de 81,6% em relação a 2008. O maior comprador de soja em 2009 foi a China, informa o Panorama. De acordo com o estudo, o grão de soja é o mais exportado da cadeia, tendo alcançado a cifra de US$ 327,7 milhões.

Além desses dados, o Panorama apresenta uma relação das principais empresas exportadoras em cada segmento e traz informações sobre o nível de processamento dos produtos destinados à exportação e os preços médios alcançados no exterior. Há também dados sobre as distâncias entre as regiões de produção e os portos brasileiros, bem como o tempo gasto no transporte até os portos internacionais.

Principais números do Panoram do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais


EXPORTAÇÕES

Em 2009, o valor exportado pelo agronegócio mineiro atingiu US$ 5,6 bilhões, que correspondeu a 8,7% das exportações do agronegócio nacional. Entre os anos de 2003 e 2009, as receitas provenientes das exportações mineiras do agronegócio cresceram 181,9%.


IMPORTAÇÕES

O valor importado alcançou US$ 257 milhões, referente a 2,6% das importações do agronegócio nacional.


SALDO DA BALANÇA COMERCIAL

Em 2009, o saldo da balança comercial do agronegócio mineiro atingiu um superávit de US$ 5,4 bilhões, equivalente a 9,8% do saldo comercial do agronegócio nacional. De 2003 a 2009, o resultado mineiro apresentou crescimento de 189,8%.

Em relação a 2008, enquanto o saldo da balança comercial do agronegócio brasileiro apresentou decréscimo de 16,7%, o resultado mineiro decresceu 3,0%. Esse comportamento superior do Estado é capaz de justificar o aumento da participação de Minas Gerais no saldo da balança comercial do agronegócio brasileiro.


DIVERSIFICAÇÃO DA PAUTA DE EXPORTAÇÃO

Em 2009, o número de produtos enviados ao exterior (classificados pela Nomenclatura Comum do Mercosul – NCM) foi de 561, aumento de dez NCMs na comparação com o ano de 2008.


EXPORTAÇÕES POR REGIÕES EM 2009

O Estado de Minas Gerais ocupa o quinto lugar nos ranking dos principais estados exportadores, sendo responsável por 8,7% das exportações nacionais do agronegócio.

O Sul de Minas é a principal região exportadora do Estado, respondendo por 47,6% do valor exportado, graças à vasta produção de café. O Triângulo Mineiro aparece em segundo lugar, com 25,4%, impulsionado pelas exportações do complexo sucroalcooleiro e carnes. A terceira posição, com parcela de 8,7%, é ocupada pela região Rio Doce, sendo a celulose seu principal produto exportado.

O café impulsiona as exportações de Varginha e faz deste município o principal exportador, com mais de ¹/4 do valor exportado pelo agronegócio de Minas.


EXPORTAÇÕES POR PRODUTOS

Em 2009, o grupo café e derivados permaneceu como principal cadeia produtiva da pauta de exportação do agronegócio mineiro, com participação de 51,5% do total exportado pelo setor (referente a US$ 2,9 bilhões). As exportações de café e derivados por parte de Minas Gerais responderam por 68,0% das exportações brasileiras do grupo. O café mineiro tem como principal destino a Alemanha, que absorveu 24,1% das exportações mineiras do produto em 2009.

O complexo sucroalcooleiro passou da quarta posição, em 2008, para a segunda, no ranking das exportações do agronegócio estadual. Em 2009, as exportações desse grupo atingiram US$ 691 milhões, respondendo por 12,2% do total exportado pelo setor mineiro.

Entre os anos de 2008 e 2009, o aumento das exportações do complexo sucroalcooleiro chegou a US$ 215,9 milhões. Este grupo apresentou o segundo maior incremento no valor exportado, ficando atrás apenas do complexo soja, que obteve aumento de US$ 221,8 milhões na receita de exportação. O crescimento dos complexos soja e sucroalcooleiro são justificados por problemas em importantes países produtores como Argentina e Índia.

Entre os anos de 2003 a 2009, as exportações de açúcar cresceram 527,7% e atingiram o montante de US$ 597,7 milhões, em 2009. Neste ano, o principal destino das exportações mineiras de açúcar foi a Índia, que absorveu cerca de 24,4% das exportações mineiras.

As receitas geradas pelos embarques de etanol cresceram 7.296,6%, entre 2003 e 2009, alcançando a cifra de US$ 93,3 milhões, em 2009. A Holanda foi o principal destino das exportações mineiras de etanol, neste ano, respondendo por 24,9% do valor exportado.

Em 2009, Minas respondeu substancialmente pelas exportações nacionais dos seguintes produtos, além do café (68,0%):

- 35,7% das exportações nacionais de ovos e derivados;

- 30,6% dos produtos hortícolas exportados pelo país.


EXPORTAÇÕES POR BLOCOS DE PAÍSES

A União Europeia continua a ser o principal destino dos produtos do agronegócio de Minas. Em 2009, o bloco recebeu 41,7% de tudo o que foi exportado pelo agronegócio do Estado.

A Alemanha permaneceu o principal destino dos embarques mineiros, em decorrência das exportações de café. O país adquiriu 13,5% das exportações do agronegócio.

A China, quarto maior mercado de destino dos produtos do agronegócio estadual, apresentou crescimento de 39,9% nas importações do setor minero, em relação a 2008.

Em 2009, a Índia posicionou-se como um mercado de grande potencial para os produtos do agronegócio mineiro, principalmente o açúcar. Entre 2008 e 2009, as exportações destinadas ao país cresceram 22.055,0%.


Fonte: Seapa/MG














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r