Boa noite!
15/07
 

Notícias

Voltar
Quinta-feira, 01 de julho de 2010 - 07h38m

Agronegócio > Soja

MT: custo da lavoura de soja deve ficar 9,43% menor no Estado



Cuiabá/MT

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgou mais um levantamento sobre custos de produção da safra 10/11 de soja em Mato Grosso. Os números apurados revelam que o plantio ficará 9,43% mais barato em comparação ao demandado no ciclo 09/10. No final de maio o Instituto previa retração de 7% nos custos de produção em Mato Grosso.

Pelos novos números, o custo de produção por hectare passa de uma média de R$ 1,59 mil na safra passada para cerca de R$ 1,44 mil. A estimativa publicada em maio previa custo de R$ 1,47 mil. Neste quarto levantamento para a safra 10/11 o Imea está considerando os cultivos para soja convencional (Diamantino, Sapezal e Sorriso) e soja transgênica (Campo Verde e Canarana), uma produtividade média de 52 sacas por hectare e a taxa de câmbio em R$ 1,80.

O recuo é motivado pela redução dos valores das cotações dos insumos, sementes e defensivos – principalmente fungicidas e herbicidas.

Em cada uma das cinco regiões apuradas, o Imea tem um município como referência. Nesta classificação, o plantio mais caro está sendo projetado para duas localidades: Campo Verde (139 quilômetros ao sul de Cuiabá) e Sapezal (460 quilômetros ao noroeste de Cuiabá), ambas com custo de produção estimado em R$ 1,52 mil. Vale observar que Campo Verde tem como referência o plantio de semente transgênica e Sapezal cultivo convencional.

O custo mais barato do Estado está previsto, mais uma vez, para Diamantino (206 quilômetros ao norte de Cuiabá), com projeção de R$ 1,36 mil, seguido de um custo de R$ 1,37 mil para Sorriso (460 quilômetros ao norte de Cuiabá). Nestas duas localidades, a projeção de custos considerou sementes convencionais. Na intermediária está Canarana, com estimativa de R$ 1,44 mil. Todas a regiões tiveram o custo por hectare reduzido em comparação ao levantamento divulgado no final de maio.


SACAS

Falando a língua do produtor, o Imea converte o custo em sacas. O sojicultor da região oeste terá de produzir pelo menos 29,32 sacas para cobrir o custo por hectare. É o maior volume da relação. Já a menor relação fica em 26,27 sacas/ha no Centro-Sul.

Marianna Peres


Fonte: Diário de Cuiabá














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r