Bom dia!
20/07
 

Notícias

Voltar
Quinta-feira, 01 de julho de 2010 - 14h41m

Pesquisa > Café

RO: pesquisadores avaliam sistemas de cultivo de café em Rondônia



Porto Velho/RO

Com o objetivo de avaliar os impactos da cafeicultura no Estado de Rondônia, pesquisadores da Embrapa selecionaram cinco diferentes sistemas de cultivo para analisar aspectos econômicos, ambientais e sociais. O comparativo evidencia as vantagens e as desvantagens de cultivar café sem tecnologia ou com o uso de poda, adubação, irrigação e clonagem.

O trabalho foi realizado em três importantes municípios produtores de café no Estado de Rondônia. Em Cacoal foram observadas lavouras com irrigação. Em Nova Brasilândia foram encontrados produtores que praticam a clonagem para selecionar plantas com características superiores. Por fim, Alta Floresta também se destacou por sistemas com poda e adubação química.

O sistema clonal de Nova Brasilândia, que também se caracteriza pelo uso de irrigação, poda e desbrota, apresentou menor custo total por saca beneficiada e consequentemente maior lucro. Para cada saca de café beneficiada o lucro foi de R$ 90,81. O sistema de cultivo tradicional em Cacoal, por exemplo, apresentou lucro de R$ 60 por saca.

De acordo com Samuel Magalhães Oliveira, pesquisador da Embrapa Rondônia, “o custo de implantação de uma lavoura do sistema clonal é sensivelmente reduzido pela precocidade da produção, com colheita expressiva já no segundo ano”. O custo de mão de obra é também reduzido pela maior produtividade da lavoura.

O sistema melhorado de Alta Floresta foi o que apresentou custo de produção mais elevado. Isso se explica pelo investimento em adubos e agrotóxicos. Samuel Oliveira mostra que boa parte desse investimento é feito de maneira inadequada. “Existe um uso excessivo de agrotóxicos, o que além de caro implica em um custo ambiental”, explica o pesquisador.

O custo ambiental se evidencia, também, no modo de produção tradicional. O café é a principal cultura agrícola do Estado de Rondônia e está presente em aproximadamente 30 mil propriedades, de acordo com Samuel Oliveira. “Historicamente o procedimento padrão era desmatar para plantar café. A lavoura empobrecida era abandonada e novas áreas eram abertas, o que é insustentável”, afirma o pesquisador.

“Aspectos econômicos, ambientais e sociais da produção cafeeira em diferentes sistemas em Rondônia” é um Comunicado Técnico publicado pela Embrapa Rondônia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Está disponível ao público gratuitamente na página de publicações do Portal da Embrapa Rondônia: http://www.cpafro.embrapa.br/portal/publicacao/216/


Fonte: Embrapa














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r