Bom dia!
16/07
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 02 de julho de 2010 - 08h10m

Agricultura > Algodão

SP: algodão ocupa área de soja no Brasil e deve avançar até 20% em 2011



São Paulo/SP

área de algodão no Brasil será aumentada entre 15% e 20% na safra 2010/2011, segundo especialistas ouvidos pela reportagem do DCI. O Mato Grosso, principal produtor do País, deve ter um espaço ampliado entre 10% e 15%, de acordo com a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa). Atualmente, foram plantados 422 mil hectares da cultura no estado e, se a previsão se mantiver, o número será de 483 mil hectares para a próxima temporada. Atualmente, há aproximadamente 836 mil hectares de plantação de fibra no Brasil.

De acordo com a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com o aumento de área, a produção do algodão poderá subir para 1 milhão de toneladas. "Os preços [do algodão] estão atrativos e, por isso, os produtores já venderam parte de seus cultivos", afirmou Haroldo Cunha, presidente da Abrapa. Segundo o executivo, foram vendidas, até agora, entre 300 mil e 400 mil toneladas.

"A maior parte foi negociada com o mercado internacional", contou. O acréscimo de espaço para a cotonicultura no País será proporcional aos estados que mais produzem algodão. Para o presidente da Abrapa, Mato Grosso terá ganho de 90 mil hectares; enquanto Bahia, 50 mil; e Goiás, 25 mil hectares.

Gilson Ferrúcio Pinesso, presidente da Ampa, também atribui o acréscimo da área da cotonicultura aos contratos já acertados para os mercados externo e interno. "Principalmente, o mercado doméstico, que está consumindo bem", afirmou. De acordo com Flávio Roberto de França Junior, diretor de Produção da Safras & Mercado e analista de soja, o baixo preço da oleaginosa - hoje a cerca de R$ 40, em Paranaguá -, causa redução de área e aumenta espaço para a entrada da fibra. Segundo Miguel Biegai Júnior, especialista da Safras & Mercado, o ideal é que produtores tenham entre 50% e 60% de negócios definidos com a exportação e demanda interna. "Até 60%, o produtor está na margem de segurança. Se tudo correr bem, sem interferências climáticas, ele poderá ter lucro na próxima safra", explicou Biegai.

Para o analista da Safra s& Mercado, o aumento de área é uma recuperação do setor. A safra 2010/2011 será plantada em dezembro e janeiro e colhida entre junho e julho. "O algodão havia perdido área [para a soja]. Agora, é um processo de retomada, o mercado interno está aquecido e os preços estão melhorando", disse. Em junho, a libra-peso da pluma estava cotada em R$ 1,51, de acordo com o indicador Cepea/Esalq. Hoje, após uma alta na última sexta-feira, a fibra está cotada em R$ 1,65 a libra-peso. Ainda no último mês, a valorização na bolsa de Nova York foi de 4,73%.

Quebra na safra atual
De acordo com a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), até o momento, foi colhido da pluma brasileira entre 15% e 20%. O setor pode ter uma quebra na safra 2009/2010, que tinha previsão de 1,250 milhão de toneladas. Segundo Biegai, uma estiagem nos meses de março e abril prejudicou a plantação de estados como Mato Grosso, Bahia, Goiás e Mato Grosso do Sul, assim como problemas com praga e mudanças no clima, que travam o desenvolvimento do algodão. "Goiás pode ter uma quebra de 5% a 10%. Se a projeção se concretizar, a safra poderá cair para 1,150 milhão de toneladas. No entanto, só estaremos certo disso no fim deste mês", disse o analista, que acredita, para este ano, um consumo interno de 1 milhão de toneladas de fibra.

Segundo Pinesso, Mato Grosso terá uma queda significativa. "Projetamos uma redução na produtividade em até 15%. O peso da pluma está abaixo do normal, por causa da falta de chuva desses meses [março e abril]", comentou. Segundo Cunha, a quebra do estado será maior em função de uma plantação tardia em meados de janeiro. Mato Grosso exporta por ano cerca de 300 mil toneladas de algodão e é responsável por 58% das vendas para fora do País. Por ano, o Brasil embarca 500 mil toneladas de fibra.

O presidente da Abrapa aponta uma perda menor no Estado da Bahia - segundo no ranking brasileiro de produção - , de 5%. Já em Goiás, Cunha afirmou que ainda é cedo para dizer em porcentagens, no entanto, a tendência de queda atingirá, de fato, o estado goiano.

A área de algodão no Brasil será aumentada entre 15% e 20% na safra 2010/2011, segundo especialistas. O Mato Grosso, principal produtor do País, deve ter um espaço ampliado entre 10% e 15%, de acordo com dados da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa).

No estado, a cultura vem tomando o espaço antes destinado à soja. Atualmente, foram plantados 422 mil hectares de algodão no Mato Grosso e, se a previsão se mantiver, o número será de 483 mil hectares na próxima temporada.

Diego Costa


Fonte: DCI














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r