Boa noite!
16/12
 

Notícias

Voltar
Segunda-feira, 05 de julho de 2010 - 07h00m

Agricultura > Agronegócio

DF: Conab moderniza cálculo do custo de produção



Brasília/DF

A Conab colocou na rua a nova metodologia de levantamento do custo de produção no campo. O método revisado moderniza o sistema em uso desde a década de 90, que se tornou obsoleto frente ao dinamismo da agropecuária e ao avanço da tecnologia desenvolvida por empresas que atendem ao setor. Os novos custos de produção estarão à disposição no site da Conab a partir de setembro, e a planilha incluirá praticamente todos os grãos, criação de suínos e frango de corte, leite, vinho e produtos extrativistas.

Os critérios foram obtidos após dois anos e meio de pesquisa com centenas de produtores, cooperativas, fabricantes de máquinas e implementos agrícolas, universidades, institutos, assistência técnica e órgãos públicos. No Rio Grande do Sul, pelo menos 15 representações públicas e privadas foram consultadas.

Entre os inúmeros itens que foram reposicionados no pacote tecnológico, estão tratores, colheitadeiras e implementos. A renovação da frota ocorrida no maquinário agrícola por meio de programas públicos como o Moderfrota e o Mais Alimentos, ocasionou a redução do valor residual considerado. Mais tecnologia, menor gasto em manutenção.Por outro lado, com o encurtamento do ciclo produtivo, especialmente dos grãos, implementos agrícolas que duravam 25 anos estão sendo aposentados com 15 anos.

As mudanças também consideraram fatores externos que interferem diretamente na produção como alterações nas relações trabalhistas no meio rural, modificações nos marcos regulatórios de mudas e sementes e no seguro rural, além da expansão do uso de recursos hídricos, como irrigação.

Segundo Nildo Fernandes, da Gerência de Custos de Produção da Conab, as modificações têm o objetivo de auxiliar na tomada de decisão do produtor sobre o sistema de cultivo e gestão do empreendimento rural no caminho da eficiência econômica. Por outro lado, acrescenta, esses valores também são indicadores na definição de políticas públicas como o estabelecimento dos preços mínimos no país. "Este custo é uma estimativa importante para que o produtor veja se está tendo rentabilidade e trabalhando adequadamente, e para que os governos possam se posicionar de melhor forma frente às demandas."

O pacote tecnológico, onde são determinados pesos e fatores de produção, deve ser atualizado novamente daqui a quatro anos. Contudo, o período de correção de valores de insumos segue como é atualmente. A cada dois meses, a Conab pesquisa os preços no mercado e lança prováveis oscilações.

Principais itens avaliados na formação dos valores

I) Custo Variável

- Despesas de custeio da lavoura: operação com máquinas e implementos, mão de obra, encargos sociais e trabalhistas, sementes, fertilizantes, agrotóxicos e irrigação.

- Despesas pós-colheita: transporte externo, assistência técnica e extensão rural, e armazenagem.

- Despesas financeiras: juros.

II) Custo Fixo

- Depreciações e exaustão: depreciação de benfeitorias, instalações, máquinas, implementos, e exaustão do cultivo.

- Outros: mão de obra, encargos sociais e trabalhistas e seguro do capital fixo.

III) Custo Operacional

- Renda de fatores: remuneração esperada sobre capital fixo e terra.



Patricia Meira


Fonte: Correio do Povo














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r