Boa tarde!
23/08
 


Notícias

Voltar
Quinta-feira, 20 de abril de 2017 - 15h53m

Agronegócio > Bovinos

RS: preços do boi gordo reagem com reposição atacado x varejo mais intensa, diz Agência Safras



Porto Alegre/RS

O mercado físico de boi gordo teve uma semana de preços entre estáveis a mais altos. “O viés para os preços permanece de alta diante da dificuldade que os frigoríficos têm enfrentado na composição das escalas de abate”, aponta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

Segundo ele, um iminente retorno de diversas unidades que estavam em férias coletivas aumenta o potencial de consumo. “Além disso, uma boa condição das pastagens permite que o pecuarista retenha o boi por mais tempo dentro da porteira”, aponta.

O clima passa a ser um ponto relevante para a formação de tendência no curto e no médio prazo, considerando que o tempo frio e seco acelera o processo de deterioração das pastagens, levando o pecuarista a negociar com mais afinco.

No atacado, a carne bovina apresentou forte alta durante a semana. Boa reposição entre atacado e varejo nas vésperas do feriadão de Páscoa redundou em queda dos estoques, aumentando a propensão de reajustes mesmo em uma semana de consumo enfraquecido. "O mercado tende a apresentar potencial de alta ainda mais expressiva nos preços durante a primeira quinzena de maio, pelo fator sazonal e também por conta do Dia das Mães", assinala Iglesias.

A média de preços da arroba do boi gordo nas principais praças de comercialização ficou assim na terceira semana de abril:

São Paulo – R$ 140,00, contra R$ 138,92 na segunda semana.
Goiás – R$ 124,00, estável.
Minas Gerais – R$ 131,00, contra R$ 130,00 a arroba.
Mato Grosso do Sul – R$ 129,83, estável.
Mato Grosso – R$ 122,33, contra R$ 121,33 a arroba.

Exportações
As exportações de carne bovina "in natura" do Brasil renderam US$ 155,10 milhões em abril (9 dias úteis), com média diária de US$ 17,2 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 37,4 mil toneladas, com média diária de 4,2 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.140,70.

Na comparação com março, houve perda de 1,8% no valor médio diário da exportação, baixa de 2,6% na quantidade média diária exportada e ganho de 0,8% no preço médio. Na comparação com abril de 2016, houve ganho de 1,6% no valor médio diário, baixa de 3,8% na quantidade média diária e valorização de 5,7% no
preço médio.


Fonte: Agência Safras
















© Copyright 2017, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r