Bom dia!
12/12
 

Notícias

Voltar
Quinta-feira, 20 de abril de 2017 - 15h55m

Agronegócio > Café

RS: café tem dias de ampla volatilidade, sobe e torna a despencar, diz Agência Safras



Porto Alegre/RS

Segundo o analista de Safras & Mercado, Gil Barabach, vulnerável à flutuação do dólar, o café chegou a atingir máxima de 146,40 centavos de dólar por libra-peso em NY, o maior patamar desde 22 de março. “Mas não conseguiu sustentar os ganhos e acabou recuando, voltando a se aproximar da linha de 140 cents para a posição Julho/17 na ICE Futures em Nova York (nesta quinta-feira). A alta no dólar, especialmente frente ao real, e forte pressão técnica explicam a recente queda do arábica na bolsa nova-iorquina”, comenta.

Para Barabach, em meio à grande volatilidade, o mercado tenta consolidar um fundo acima de 140 cents, mas segue sem força para investidas de alta. “O fundamental continua jogando contra os preços. E embora as indicações de déficit na oferta em 2017/18 preocupem, o bom fluxo no curto prazo continua influenciando negativamente as cotações. A proximidade da safra brasileira também ajuda a limitar os ganhos na ICE (bolsa de NY)”, afirma.

O mercado de café encontra dificuldade para dar sequência ao movimento de alta, esbarrando na densa resistência em torno de 145 cents. O analista indica que o dólar pode ser um aliado ocasional para furar essa barreira, como aconteceu na última semana. “Mas só um susto climático, que coloque em risco a produção, para quebrar, efetivamente, essas resistências e dar maior intensidade aos ganhos no café”, avalia. A tendência na queda passa a ser o mercado romper o suporte de 140 cents para o contrato julho.

No mercado físico brasileiro de café, a volatilidade externa, o dólar fraco e a proximidade da safra nova tem atrapalhado o andamento dos negócios. O aumento da distância entre compra e venda também colabora com lentidão.

A indicação para arábica duro com 15% de catação ficou na faixa de R$ 470,00 a saca no Sul de Minas. Há chance para um café mais fino a R$ 485,00 a saca na região do Cerrado. Já o café cereja descascado gira a R$ 500,00, podendo chegar a R$ 505,00 a saca. De uma forma geral, houve queda de R$ 5,00 a saca em relação à semana passada.

As bebidas mais fracas também caíram. O café rio com 20% de catação da Zona da Mata de Minas é indicado a R$ 430,00 saca. E, depois do tombo da semana passada, o conilon tipo 7 do Espírito Santo seguiu estável em R$ 405,00 a saca.


Fonte: Agência Safras














© Copyright 2017, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r