Boa tarde!
20/10
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 11 de agosto de 2017 - 13h27m

Eventos > Cooperativas

PR: pesquisador recomenda antecipação do controle de plantas daninhas na lavoura de soja, diz Copagril



Imagens

Foto: Divulgação / Copagril



Marechal Cândido Rondon/PR

Com a perspectiva de implantar a cultura de soja mais cedo este ano, diante da alteração do fim do vazio sanitário no Paraná para até o dia 10 de setembro, o pesquisador da Embrapa Soja, Fernando Storniolo Adegas recomenda que os produtores antecipem também o manejo de plantas daninhas nas lavouras. “Sempre recomendamos que o produtor faça o manejo logo após a colheita do milho safrinha. Porém, observamos que agora o clima está muito seco e as plantas estão estressadas. Por isso, indicamos que o produtor aguarde condições mais adequadas para realizar a aplicação de herbicidas”, declara.

Observação - Segundo ele, o monitoramento da lavoura é importante para observar as plantas que germinaram, qual o nível de infestação, ver se existem reboleiras, onde estão distribuídas estas plantas e o tamanho delas para iniciar o planejamento de controle.

Volume de chuva - O pesquisador acredita que um volume de chuva entre 30 e 40mm já deve ser suficiente para repor a água do solo e deixar as plantas aptas para receberem a aplicação. “Quando voltar a chover e as plantas voltarem a se desenvolver será ideal para iniciar o manejo, fazendo o controle com herbicida”, pontua Adegas.

Produto - O tipo de produto a ser aplicado depende de quais plantas daninhas existem na lavoura. Em visita a algumas lavouras ontem, em Marechal Cândido Rondon, na companhia do técnico agrícola da Embrapa, Reinaldo Moriyama, e do encarregado da área agrícola agronômica da Copagril, engenheiro agrônomo Paulo Brunetto, o pesquisador Fernando Adegas observou a presença de buva, macela e algumas outras.

Aplicações sequenciais - Conforme o pesquisador, normalmente, para controlar estas plantas antes de fazer a semeadura da soja são necessárias duas aplicações sequenciais, podendo ser usados diferentes produtos, dependendo do tipo de planta, do tamanho delas e da dispersão na área.

No limpo - A principal recomendação do pesquisador é fazer a implantação da cultura da soja em área livre de plantas daninhas. “Tem que deixar as plantas daninhas bem controladas antes do plantio para que a soja tenha condições de germinar no limpo”, salienta Adegas.

Menor gasto possível - Ao longo de todo o ciclo da cultura de verão, o objetivo é fazer o controle de plantas com o menor gasto possível, tanto de produto, como financeiro. “No período após a colheita do milho safrinha é bom deixar uma boa palhada sobre o solo, evitar com que a planta daninha produza sementes, tudo ajuda no controle, principalmente não deixar com que as mesmas se desenvolvam muito, o que dificultará o controle”.

Controle mais eficiente - O produtor realizando o manejo correto, não deixando infestar muito as áreas, consegue ter um controle mais eficiente de plantas daninhas na lavoura, não onerando muito o custo de produção”, conclui o profissional da Embrapa.


Fonte: Sistema Ocepar














© Copyright 2017, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r