Bom dia!
17/10
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018 - 18h15m

Eventos > Cooperativas

RS: Cotriel destaca revisão de colheitadeiras para reduzir perdas na lavoura



Revisão da colhedeira contribui para reduzir perdas que podem chegar a até 2,2 sacos de soja por hectare


Espumoso/RS

A perda de grãos no período da colheita é um dos problemas da agricultura, que pode ser amenizada com a revisão e a regulagem da colheitadeira. De acordo com o administrador das lojas de ferragens da Cotriel, Marcolan Prates , a revisão da máquina deve ser feita com antecedência, abrangendo todos os componentes da mesma, com atenção especial as peças da plataforma, como barra de corte, garfos, dedos, molinete, a e outros, pois é onde acorre o maior volume de perdas 

"É preciso evitar que a mesma quebre durante a safra e atrapalhe a colheita. A regulagem correta do equipamento também é indispensável . A velocidade de colheita, regulagem da ventilação, abertura entre o cilindro e côncavo, rotação do cilindro, ajuste da extensão do côncavo, ajuste da posição das cortinas retardadoras e limpeza das grelhas do saca-palha são alguns dos principais itens a serem regulados”, acrescenta Prates.

O gerente de insumos e técnico agrícola, Amarildo Provensi chama a atenção que o primeiro passo para minimizar perdas por dano mecânico é colher somente quando a soja atingir o chamado "ponto de colheita", quando os grãos tiverem umidade média entre  13% a 15%.

"A velocidade de trabalho recomendada para uma colhedora de soja é determinada em função da capacidade operacional da colhedora, da produtividade da cultura e da capacidade de manusear toda a massa que é colhida junto com o grão. A  maioria das perdas relacionadas à má regulagem da máquina ocorre no mecanismo de corte e alimentação (80% a 85%). Deve ser dada atenção especial ao posicionamento do molinete em relação à barra de corte e à velocidade do molinete. Se esta for excessiva, ocorrerão muitos impactos sobre as plantas, resultando em quebra dos ponteiros com a consequente queda de vagens e grãos no chão.  Não podemos deixar de destacar que além da umidade do grão colhido, deve ser feita a manutenção da serra, substituir navalhas quebradas, eliminar a folga da barra de corte, e cuidar a aceleração muito alta no molinete, que deve  trabalhar com aceleração  25 % superior à  velocidade da máquina. Estas situações quando ocorridas aumentam consideravelmente o atrito das plantas e dos grãos com plataforma ocasionando grandes perdas”, disse.

Amarildo destacou que segundo pesquisa da Embrapa em nível nacional, as perdas relacionadas à má regulagem das máquinas chegaram a aproximadamente 4% da produção.

"Isso representa numa produtividade média de 60 sacos por hectare 2,2 sacos de soja a menos de rentabilidade na propriedade rural. Em uma área de soja como a de todo o município de Espumoso, que chega a 51 mil hectares, significa que deixam  de entrar nos silos da Cotriel cerca de 112 mil sacas de soja. Se calcularmos em toda a nossa área de abrangência, que é de 157 mil hectares, são 345 mil sacas. Devemos sempre ficar atentos ao detalhes, realizar a revisão da colheitadeira antes de efetuar as colheitas, a troca de peças que estejam com vida útil condenada e efetuar a melhor regulagem do equipamento conforme a cultura, a umidade do grão e, claro, sempre sem pressa, pois a colhedora precisa de um tempo para processar o corte, trilha, separação e limpeza", finalizou. 


Fonte: Cotriel














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r