Boa tarde!
19/08
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 10 de agosto de 2018 - 15h23m

Eventos > Seminário

RS: produtores conhecem resultado da pesquisa de Identificação Geográfica do abacaxi



Terra de Areia/RS

Mais de 70 produtores participaram do Seminário de Apresentação de Pesquisa Científica sobre Identificação Geográfica do Abacaxi Terra de Areia, onde foram apresentados os resultados e debatido o interesse dos agricultores e de entidades de se organizarem e darem continuidade para viabilizar o projeto.

O evento aconteceu no Sindicato dos Trabalhadores de Terra de Areia, na quarta-feira (08), e foi organizado pelo Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (Ddpa) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do RS (Seapi), Emater/RS-Ascar, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Terra de Areia e Prefeitura de Terra de Areia.

No encontro, a pesquisadora do Ddpa/Seapi, Larissa Bueno Ambrosini explicou o que é Indicação Geográfica, para que serve e qual sua importância; Loana Silveira Cardoso falou do clima regional e Bruno Brito Lisboa apresentou os tipos de solo no litoral norte; enquanto André Dabdab Abichequer tratou da situação da fertilidade dos solos para produção de abacaxi. Já na parte da tarde, Raquel Paz da Silva abordou o cultivo de abacaxi no litoral norte e o pesquisador Carlos Alberto Oliveira de Oliveira destacou a cadeia produtiva do abacaxi de Terra de Areia.

Os resultados apresentados integram o projeto de pesquisa científica Potencialidades para Obtenção de Indicação Geográfica (IG) por parte do abacaxi (Ananas comosus) de Terra de Areia, RS, desenvolvido pelo Ddpa e parceiros, entre eles a Emater/RS-Ascar. O levantamento foi realizado entre 2014 e 2018, e contou com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq).

A Indicação Geográfica é uma ferramenta de proteção, diferenciação e valorização, especialmente para produtos alimentares, que se desenvolveu originalmente na Europa e posteriormente foi sendo difundindo para países em desenvolvimento. Essa dinâmica está relacionada à exploração de nichos de mercado, ligados a marcas de qualidade ou produtos típicos e tem dupla

função: colocar em evidência e valorizar um produto cuja reputação está ligada a sua origem e proteger o uso indevido de um nome geográfico.

No caso do abacaxi de Terra de Areia, os agricultores vinham há anos discutindo a situação da produção, já que é o maior produtor do Rio Grande do Sul e a fruta apresenta como diferencial o sabor, e buscavam apoio para a avaliação da possibilidade de valorização do abacaxi por meio de uma Indicação Geográfica (IG).

A pesquisa então veio atender esta demanda, mobilizou diretamente 14 pesquisadores e técnicos, que percorreram mais de 10 mil quilômetros, realizando leitura da paisagem, entrevistas com informantes-chave, identificação de agricultores, coletas de solo, identificação de pontos de comercialização, entrevistas, instalação e revisão de estação meteorológica, reuniões de campo e de equipe, apresentações regionais do projeto, entre outras ações.

Como um dos resultados ocorreu também o lançamento do livro Abacaxi de Terra de Areia: Potencial para Indicação Geográfica, que é disponibilizado gratuitamente em formato digital, no link 


Fonte: Emater/RS














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r