Boa tarde!
19/08
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 10 de agosto de 2018 - 15h30m

Eventos > Dia de Campo

RS: dia de campo mostrou benefícios do sistema silvipastoril em Dilermando de Aguiar



Dilermando de Aguiar/RS

Na última quarta-feira (08), o município de Dilermando de Aguiar, na região Central, recebeu um público de cem pessoas entre autoridades locais, produtores da região, estudantes, técnicos e extensionistas da Emater/RS-Ascar para um Dia de Campo sobre Sistema Silvipastoril.

O Sistema Silvipastoril visa promover a integração da pecuária e da floresta nativa na propriedade rural, trazendo mais possibilidades de renda para o produtor. O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, com apoio da Prefeitura de Dilermando de Aguiar, da Universidade Federal de Santa Maria (Ufsm) e da AgroSanta Soluções Agrícolas.

Estiveram presentes também o gerente técnico estadual da Emater/RS-Ascar, Alencar Feron, o gerente adjunto do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, José Renato Cadó, e o prefeito de Dilermando de Aguiar, José Claiton Ilha. Para Alencar Feron, o debate sobre o sistema silvipastoril com os produtores e estudantes é algo que sempre deve ser incentivado.

- É muito gratificante presenciar o trabalho do Escritório Municipal da Emater de Dilermando, juntamente com o do Escritório Regional de Santa Maria, e ver realizada a nossa missão de sempre trazer inovação para o agricultor familiar. O tema da atividade e a propriedade escolhida para sediar o Dia de Campo, são ótimos indicativos do nosso trabalho, pois apresentam os benefícios que a integração pecuária e floresta proporciona ao produtor e ao meio ambiente e também ao animal inserido no sistema, fazendo com que o produtor ganhe também em produtividade, uma vez que ele tem ainda uma diversificação de renda com os produtos florestais -, disse o gerente técnico.

Para a realização do Dia de Campo, foi escolhida a propriedade de 27 hectares de Daniel Pedro Comasseto, na localidade de Caixa DÁgua, onde vivem o produtor rural, de 60 anos, sua esposa Margareth, de 57 anos, e suas três filhas. A principal atividade da família é a bovinocultura de corte, que é manejada em campo nativo em 19 hectares, e em sistema silvipastoril, em oito hectares. O sistema silvipastoril foi adotado na propriedade com apoio técnico da Emater/RS-Ascar e da Universidade Federal de Santa Maria (Ufsm), e está em funcionamento desde 2013.

No local do Dia de Campo foram apresentadas cinco estações que envolveram a temática central do evento, o consórcio entre a pecuária e a floresta, ou seja, a combinação de árvores, pastagem e gado numa mesma área ao mesmo tempo e manejados de forma integrada, com o objetivo de incrementar a sua produtividade. - Nesse modo, tudo é aproveitado nada se perde, tem interação total entre as árvores e as pastagens e os animais, as árvores atraem muitos pássaros, tem preservação -, disse Comasseto.

Em um primeiro momento, o assistente técnico de Sistemas de Produção Animal do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, engenheiro agrônomo Francisco Antônio Palermo, e a extensionista do Escritório Municipal de Dilermando de Aguiar, Luana Fernandes Tironi, falaram sobre a gestão sustentável da agricultura familiar e de como a Emater/RS-Ascar vem agindo nesse sentido na propriedade de Daniel Comasseto. Foi exposto ao público o planejamento feito com a família, desde as intenções de melhorar o sistema de criação de bovinos de corte, preservando e melhorando o campo nativo, até as projeções futuras de desbaste e venda de madeira.

A segunda estação, sobre serrarias móveis para processamento de madeira, foi ministrada pelo diretor da AgroSanta, Romoaldo Gabbi, que apresentou ao público presente a importância da qualidade da madeira nas vendas, a realidade do mercado para o Sistema Silvipastoril e as vantagens de se beneficiar a madeira na própria propriedade antes de procurar as madeireiras. Gabbi ainda falou sobre as facilidades que os equipamentos apresentados podem proporcionar ao produtor rural. - São equipamentos portáteis, fáceis de manusear e com um custo de investimento bem baixo e que conseguem proporcionar ao produtor a opção de beneficiar a madeira produzida por ele dentro da sua própria propriedade. Acho que o principal benefício é poder ter uma demanda maior de rendimento sem necessidade de terceirizar serviços e até ter maior valor agregado ao produto que ele tem -, assegurou o diretor da AgroSanta.

A terceira estação, ministrada pelo engenheiro florestal da Emater/RS-Ascar, Gilmar Deponti, tratou especificamente sobre o Sistema Silvipastoril, quando foi possível debater as previsões de produtividade em áreas que utilizam o Sistema e ainda entender sobre como funciona esse consórcio, sem prejudicar a produção pecuária e o bem-estar animal. O técnico ainda explicou técnicas de manejo que possibilitam obter altos rendimentos, tanto na produção da madeira quanto com os animais.

Já o assistente técnico do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, engenheiro agrônomo Roblein Filho, e o extensionista do Escritório Municipal de Dilermando de Aguiar, técnico agropecuário Thiago Portella, apresentaram a quarta estação, sobre o manejo de campo nativo. Nesse momento foi possível trocar informações sobre algumas práticas de melhoramento que possibilitam o aumento da produtividade da pecuária sem danos ao meio ambiente.

Na quinta estação, o extensionista do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de São Francisco de Assis, engenheiro agrícola Rafael da Silva de Vargas, falou sobre manejo de formigas cortadeiras. Vargas explicou sobre os danos ocasionados pelas formigas, o funcionamento e desenvolvimento dos formigueiros e técnicas de eliminação e controle das formigas. Ainda foram explicados os tipos de controle que podem ser utilizados, sendo eles o químico, o físico e o biológico.

Para o estudante do quarto semestre de Engenharia Florestal da Ufsm, Gabriel Flores Martinez, de 18 anos, o Dia de Campo sobre o Sistema Silvipastoril proporcionou novas experiências.

- É muito bom pra nós, como estudantes, vermos essas atividades no campo junto com os agricultores, para entender melhor como é a realidade deles. A troca de experiências e a demonstração de técnicas por quem está envolvido nessas atividades no dia-a-dia é algo que não conseguimos visualizar apenas dentro da sala de aula. No geral, foi muito interessante observar essa junção da criação de gado com o plantio das árvores e entender bem os métodos utilizados para atingir bons resultados nesse sistema -, concluiu Gabriel.


Fonte: Emater/RS














© Copyright 2018, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r