Bom dia!
25/03
 

Notícias

Voltar
Quarta-feira, 13 de março de 2019 - 15h32m

Eventos > Esalq

SP: Indicador do Boi Esalq/B3 completa Bodas de Prata



Imagens

Foto: Thiago Brizola



Piracicaba/SP

O Indicador do boi gordo Esalq/B3 completa 25 anos neste mês. São mais de 6,2 mil dias de divulgações ininterruptas desde o início da sua publicação, em março de 1994. O Indicador foi criado pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, em parceria com a B3 (antiga BM&FBovespa) e é utilizado para liquidação futura de contratos negociados na Bolsa. Em 25 anos de parceria entre a Universidade e a Bolsa – e também a sociedade –, o Indicador do boi gordo se consolidou como uma grande referência para todos os elos da pecuária nacional, por vezes tendo utilização que extrapola os limites da cadeia da carne.


HISTÓRIA

Os trabalhos para criação do Indicador começaram em 1992, quando a então BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros) buscou o Cepea com a finalidade de elaborar e divulgar um valor tido como referência para liquidação financeira dos contratos de boi gordo negociados na bolsa. Professores da Universidade de São Paulo, técnicos da Bolsa e operadores do mercado físico participaram desse início do Indicador.

Assim, entre janeiro de 1993 e março de 1994, pesquisadores do Cepea visitaram praticamente todas as regiões pecuárias do Centro-Sul do Brasil, levantando uma rede de colaboradores, que passou a ser consultada diariamente pela equipe do Cepea, em Piracicaba (SP). Boa parte dos colaboradores levantados naquele período mantém contato diário com o Cepea até hoje – uma relação de confiança e de parceria que, como poucas, já dura 25 anos!

Atualmente, a rede de colaboradores de pecuária é formada por mais de 6 mil agentes de mercado, entre frigoríficos, pecuaristas, escritórios de compra e venda de gado e leiloeiras. São cinco praças acompanhadas em São Paulo para a elaboração do Indicador e mais 20 outras regiões espalhadas por todo o País.

Essa história só foi possível porque, desde seu início, os agentes atuantes no mercado se predispuseram a fornecer dados ao Cepea, reconhecendo a importância para eles próprios da informação elaborada com base em métodos cientificamente recomendados. O Indicador não existiria sem a participação ativa e comprometida do setor produtivo e das instituições que o amparam. Constitui, sobretudo, um ativo para todos seus usuários, ilustrando como a ação coletiva e colaborativa dos agentes de produção, comércio e serviços em parceria com as instituições de pesquisa, como o Cepea, com o apoio de instituições voltadas para a melhoria dos mercados, como a B3, pode resultar em benefícios para toda a cadeia produtiva e, por extensão, à sociedade como um todo.


ATUALIZAÇÃO METODOLÓGICA

Desde 1º de março de 2019, ajustes metodológicos entraram em vigor para o cálculo do Indicador do boi gordo Esalq/B3. Dentre as atualizações na metodologia, estão a implementação de uma nova região paulista (Vale do Paraíba) – que se torna a quinta praça do estado – e melhorias no procedimento estatístico. Todos os detalhes metodológicos podem ser acessados aqui.

Vale ressaltar que a revisão da metodologia do Indicador do boi gordo passa a ser periódica e, nesse sentido, o Cepea disponibiliza um canal exclusivo para receber formalmente elogios, reclamações e sugestões – acesse aqui.

 


Fonte: Cepea/Esalq














© Copyright 2019, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r