Bom dia!
25/03
 

Notícias

Voltar
Sexta-feira, 15 de março de 2019 - 14h47m

Cursos > Defensivos

RS: produtores de Cruzaltense participam de curso de aplicação de defensivos agrícolas, diz Emater/RS



Imagens

Foto: Divulgação / Emater-RS



Cruzaltense/RS

A Emater/RS-Ascar, em parceria com a Prefeitura de Cruzaltense, através da Secretaria de Assistência Social, e Senar, realizou na semana passada (de 06 a 08) o curso Aplicação Correta e Segura de Defensivos Agrícolas, ministrado no Centro de Convivência do Idoso de Cruzaltense. Participaram agricultores e agricultoras que cultivam e comercializam grãos, como soja, milho e trigo, e hortifrutigranjeiros.

Durante os três dias de curso, o instrutor Leandro Marcelo de Oliveira palestrou sobre a Normativa Regulamentadora (NR 31), referente à aplicação correta e segura de defensivos agrícolas. Dentre os temas abordados estão conceitos de agrotóxicos, interpretação de rótulos, identificação de riscos, uso de vestimentas e equipamentos de proteção individual (EPI), transporte, armazenamento, preparo, aplicação, tríplice lavagem, devolução de embalagens, sintomas de intoxicação, regulagem e calibragem de pulverizados, pontas de pulverização, qualidade da água para pulverização.

Segundo Oliveira, a normativa está vigente desde o ano de 2005. Ele ressalta a importância do treinamento para todos que manipulam agrotóxicos. O curso envolve conteúdo teórico e prático. Na parte teórica, foram repassadas orientações sobre o uso correto dos equipamentos de proteção, aplicação e uso dos agrotóxicos, depósito de embalagens (cheias e vazias), devolução de embalagens vazias. Na parte prática, as orientações focaram na regulagem e calibragem do pulverizador e uso de algumas pontas de bico para dosagem correta de gota.


AMENIZAR RISCOS

A iniciativa em realizar o curso deu-se em função da necessidade de qualificar o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a aplicação de agrotóxicos, visto que é uma atividade que envolve riscos, principalmente à saúde e ao meio ambiente. O uso de EPIs é de fundamental importância para a saúde do aplicador. "Outro ponto é que utilizamos agrotóxicos para atingir algo, seja uma planta invasora ou um inseto, e estes produtos devem atingir este alvo em uma dose mínima para que a aplicação seja eficaz", pondera o instrutor do curso.

O engenheiro agrônomo do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Cruzaltense, André Gazzoni, ratifica as orientações para uso correto dos defensivos e equipamentos. Para isso acontecer, segundo ele, vários fatores têm que ser observados, como conhecimento sobre o alvo (sua biologia), método fitossanitário mais indicado e em qual dosagem, quantos litros de calda será necessário para atingir a planta, qual tipo de ponta de pulverização será usada, gota fina, gota grossa, se existe a possibilidade do produto atingir lavouras vizinhas (deriva), qual a umidade relativa e temperatura do ar ideal e, a partir desse conhecimento, realizar a calibração correta do pulverizado.

Para o agricultor Almir Carlos Bampi, "foi importante a realização do curso, porque estava fazendo algumas coisas erradas. A maioria dos agricultores não usa o bico certo para cada tipo de produto a ser aplicado, e também a questão de regulagem, porque pode economizar muito dinheiro, por exemplo", avaliou. "Vimos as diferença e vantagens na prática", complemente.

O agricultor Itamar Kusiak também avaliou o curso como positivo. "Os três dias foram de muito valia, percebi que na aplicação de herbicidas e fungicidas fazia coisas erradas, como não trocar a ponta de bico de herbicida para fungicida e, assim, não estava fazendo uma boa aplicação. Temos um problema que são as embalagens vazias, porque as empresas têm a tendência de vender e a responsabilidade da devolução fica para o agricultor. Os agricultores têm que se organizar juntamente com as entidades que os representam para decidir sobre isso, porque fica praticamente inviável ir até Passo Fundo para fazer a devolução das embalagens vazias", salienta.


PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS

A produção de hortaliças de escala comercial no município de Cruzaltense é centralizada em culturas específicas, como melancia, morango, amendoim e tomate. Algumas iniciativas, além da Alimentação Escolar, estão desencadeando o processo de venda domiciliar de hortaliças, tais como a alface, repolho, beterraba, almeirão e rúcula E tempero verde. Atualmente, o mercado sinaliza boas perspectivas de comercialização para as hortícolas, oferecendo uma alternativa para os agricultores no complemento da renda familiar.

A extensionista do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Angélica Albrecht Gazzoni, enfatiza que a busca cada vez maior por uma alimentação mais natural, nutritiva e saudável por parte dos consumidores abre cada vez mais oportunidades de mercado para os agricultores, que precisam buscar qualificação para produzir alimentos sem resíduos agroquímicos e de qualidade diferenciada.

Nesse cenário, a estruturação de Feira do Produtor, com o apoio da Emater/RS-Ascar e da Prefeitura de Cruzaltense, para a venda direta no município, é uma das iniciativas propostas pelo grupo de agricultores que produz hortaliças e também das agroindústrias familiares do município.

A perspectiva do grupo é realizar outro curso, no próximo ano, focado na elaboração de composto orgânico, caldas, biofertilizantes e substratos, com ênfase nos processos de compostagem e de nutrição das plantas, para que os agricultores possam preparar em sua propriedade o adubo que vai utilizar na horta, tornando a produção mais sustentável econômica e ambientalmente.


Fonte: Emater/RS














© Copyright 2019, Via Informação - Todos os direitos reservados
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial sem a citação da fonte.
Site desenvolvido por Grandes Idéias

Skype: paginarural

E-mail: paginarural@paginarural.com.br

h t t p : / / w w w . p a g i n a r u r a l . c o m . b r